O deputado Ivan Valente (PSol-SP) chamou de “piada pronta” o boletim de ocorrência (BO) registrado contra ele, nesta terça-feira (06), na 5ª Delegacia de Polícia (DP), em Brasília, pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), que o acusa de denunciação caluniosa. 

Valente é autor da representação que resultou na abertura de uma investigação preliminar do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) para apurar possíveis irregularidades na concessão de um financiamento, pelo Banco de Brasília (BRB), para a compra de uma mansão de R$ 6 milhões, na capital federal, pelo senador. 

“Isso é uma piada pronta, porque, se o senador considera que está sendo caluniado, o alvo desse boletim de ocorrência deveria ser o Ministério Público do Distrito Federal, que instaurou uma investigação por considerar consistentes os termos da representação que apresentei”, disse o parlamentar do PSol. 

Valente acrescentou que a investigação do MPDFT é necessária, porque o processo de compra da mansão no Lago Sul, área nobre de Brasília, “é altamente suspeito”. Ele citou o fato de o BRB ter cobrado juros módicos ao financiar R$ 3,1 milhões para a transação imobiliária e o comprometimento de mais de 50% da renda de Flávio e da esposa, a dentista Fernanda Bolsonaro, com essa aquisição. 

O deputado citou também o histórico de suspeitas de irregularidades envolvendo o senador, incluindo o esquema da ‘rachadinha’ na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), e mais de 20 operações imobiliárias. Valente acrescentou que Flávio Bolsonaro ainda não comprovou a explicação de que pagou a entrada para a compra da mansão com recursos oriundos da venda de um imóvel no Rio de Janeiro.