Destacando os três mandatos do PSB á frente do município, Luciano Torres, agora candidato a Prefeitura de Ingazeira, disse que pesquisa, monitoramento e decisão de grupo, definiram o seu nome para substituir o prefeito Lino Morais.

Falando a Rádio Cidade FM, de Tabira, Torres negou ter atropelado o gestor atual, que ainda tinha direito a reeleição. Assegurou que Lino estará presente em seu futuro governo, mas não indicou o cargo. Já que o Prefeito Lino Morais é elogiado por manter as contas em dia, Luciano negou que vá inchar a folha e acrescentou que quando deixou a Prefeitura, entregou com salários e 13º em dia.

Sobre a reclamação do ex-aliado e agora adversário, Luciano Moreira, candidato do Podemos a Prefeitura de Ingazeira, de que nunca foi valorizado, Torres informou que ele nunca externou interesse de ingressar na vida publica. Apesar da negativa de Moreira de que houve proposta para retirar a candidatura, desde que a Frente Popular indicasse o vereador Aécio Bezerra como vice, Luciano Torres, disse que houve a proposta sim e confirmava com todas as letras.

Adiantou que pesquisa interna indica que esta será a campanha mais fácil que já enfrentou em Ingazeira.  Lembrou da aprovação de mais de 80% que deixou o governo e citou lideranças que formavam na oposição e que agora reforçam o seu palanque como o vereador Aglailson, empresário Itan Fernandes, o ex-candidato a vice Chico Bandeira e várias famílias.

Provocado a citar uma obra conquistada pelo deputado federal João Campos (PSB) ou mesmo uma ação que ele mesmo tenha adquirido com o cargo de assessor do Governo do Estado, em benefício de Ingazeira, Luciano Torres passou em branco e o apresentador que queria uma obra pra fazer um chá, ficou sem a bebida.

Sobre o candidato milionário (conforme declaração de bens a justiça eleitoral) Luciano Moreira, ter confirmado que suas filhas se enquadraram e receberam o auxílio emergencial, Torres lamentou, pois teriam tomado o lugar de mães de família carentes que não receberam o beneficio. Lamentou Moreira não conhecer os programas de Saúde e Educação se mostrando despreparado para governar o município, disse.

Sobre o aterro sanitário prometido pelo adversário mesmo sem saber o valor, Luciano Torres disse atualmente custar R$ 3 milhões de reais e só há condição de construção com envolvimento do Consorcio de Prefeituras em favor de várias cidades. Prometeu a revisão do plano de cargos e carreira dos professores, distribuição de kit escolar, apoio aos professores, cursinho preparatório para os jovens, concurso publico e implantação de ouvidoria.

Dos 12 candidatos a vereador que lhe apoiam, se mostrou confiante que até 8 serão eleitos. E no final, Luciano Torres, disse que sua vitória será esmagadora em Ingazeira.

As informações foram repassadas ao Blog PE Notícias pelo comunicador Anchieta Santos, das rádios Pajeú FM, e Cidade FM, de Tabira.