EXCLUSIVO: Ricardo Vélez escolhe Alfredo Bertini para a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj)

A tradicional e histórica  Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) já tem o novo presidente: Trata-se do economista e ex-secretário do Minc, Alfredo Bertini. Articulado e reconhecido como gestor competente, o pernambucano foi uma escolha pessoal do futuro Ministro da Educação, Ricardo Vélez.

O Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais foi criado em 21 de julho de 1949, como órgão do Ministério da Educação e Cultura, do Governo Federal. No ano seguinte, em 1950, Gilberto Freyre, foi considerado pela UNESCO em Paris (França) um dos “oito maiores especialistas do mundo em Ciências Humanas”. A Fundação tem um orçamento anual de R$ 250 milhões.

Critério Técnico

Bertini foi presidente de Suape e também já exerceu cargos de secretário no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife.  Recentemente, em Brasília, esteve em duas funções como secretário Nacional do Ministério da Cultura: do Audiovisual e da Infraestrutura Cultural.

Ele foi ainda professor e economista da UFPE e fundou o CinePE – um dos maiores festivais de cinema do país. De estilo discreto, desde  março que Bertini estava engajado como técnico na equipe do presidente Bolsonaro. Ele atuou e participou das discussões sobre Economia Criativa com o Ministro Paulo Guedes e sua equipe econômica.  Ele foi ainda economista e professor da UFPE.

Durante o período de transição para o novo governo, seu nome também foi cotado para compor a área cultural, mas sua aproximação com os técnicos do ITA e o grupo de Educação do presidente terminou por aproximá-lo também do Ministro Velez.

A nomeação de Bertini  segue os padrões definidos pelo Governo Bolsonaro. Um nome técnico que tem trânsito livre tanto na cultura quando na educação e que terá “carta branca”  para dar um novo rumo à gestão do mais importante órgão do MEC no Nordeste.