Sede do Banco Central, em Brasília - 16/05/2017

Com o primeiro semestre terminando nesta semana, os técnicos do Banco Central fizeram as contas do impacto de uma das medidas mais populares adotadas pela instituição no ano passado, que limitou o teto de juros anual do cheque especial em 8%.

As simulações sugerem que as regras introduzidas pela Resolução 4.765/2019 podem gerar redução de cerca de 7,2 bilhões de reais nas despesas com juros do cheque especial até novembro, quando a medida completa doze meses — 24% da despesa com juros nessa modalidade.

As faixas de renda mais baixas tendem a ser as mais beneficiadas, com maior redução no custo efetivo total em virtude do menor pagamento de juros.