O conselheiro Carlos Neves (foto), que tomou posse em julho no Tribunal de Contas do Estado (TCE), ordenou o afastamento do cargo de dois servidores da Prefeitura de Ibimirim, por suspeita de desvio de recursos da previdência municipal.

O Relatório do TCE apontou irregularidades. Segundo o ex-advogado Carlos Neves, a permanência dos servidores colocaria em risco o erário público. O afastamento irá durar de início, 30 dias.

O conselheiro também mandou abrir uma auditoria especial na Prefeitura. A decisão foi em medida cautelar, e já foi publicada no Diário Oficial.