Radar/Veja

A ação ordenada pelo Supremo Tribunal Federal contra o bando das fake news vai roer lentamente os integrantes do “gabinete do ódio” bolsonarista.

Nesta semana, a Polícia Federal bateu à porta dos aloprados que fazem parte dos núcleos “financeiro e operacional” do esquema.

Ambos — empresários e militantes — têm farta ligação com os filhos de Bolsonaro, em especial com Eduardo, Carlos e Flávio — nessa ordem mesmo — e com deputados bolsonaristas que replicam mensagens e estratégias.

Depois de analisar tudo que foi apreendido — e não foi pouca coisa –, os investigadores da PF, aqueles que Bolsonaro não conseguiu demitir, irão para cima do núcleo “político” do esquema.

Trata-se do mesmo roteiro usado no mensalão. A bancada da fake news tem oito figuras, mas outros nomes conhecidos ainda entrarão na lista.