Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) começou nesta terça-feira (29) a atender as prefeituras que decretaram estado de emergência. Segundo a entidade, o número passa de 100. Os primeiros atendidos na distribuição de combustível foram os que conseguiram liminares na Justiça, caso de Caruaru, no Agreste, que conseguiu escolta para sete caminhões-tanque.

O secretário de Ordem Pública de Caruaru, o coronel Luiz Aureliano, afirmou que o combustível transportado pelos caminhões deverá ser usado no transporte público e em ambulâncias a partir desta quarta-feira (30). Hoje, apenas metade da frota está em circulação.

Segundo Aureliano, os sete caminhões-tanque foram acionados nessa segunda-feira (28), mas não chegaram a ser usados. “O que a prefeitura pediu ontem foi desmobilizado porque mudou a diretriz do gabinete de crise do Estado, passando a Amupe a fazer a organização. Hoje foi feita uma nova solicitação”, explicou.

A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), decretou situação de emergência no município na última quinta-feira (24). “Diferente da Região Metropolitana, em que alguns postos já estão atendendo a população, há poucos postos e só com álcool, desde ontem à noite”, afirmou ainda o secretário, sobre o abastecimento de combustível para a população.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decide ainda nesta terça-feira (29) se réus podem ser candidatos à Presidência da República. Se a Corte entender que sim, julga em seguida se um candidato réu pode assumir o Planalto, caso seja eleito.

A consulta foi formulada pelo deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO). No questionamento, o deputado se baseou no que diz o artigo 86 da Constituição, segundo o qual o presidente ficará suspenso de suas funções, “nas infrações penais comuns, se recebida à denúncia ou queixa-crime pelo STF (Supremo Tribunal Federal)”.

O deputado também mencionou julgamento do STF no qual ficou decidido pelo plenário, em fevereiro de 2017, que réus na linha de substituição da Presidência estão impedidos de ocupar a cadeira de presidente.

Ao menos três pré-candidatos à Presidência da República encontram-se na condição de réus: o ex-presidente Lula (PT), que responde a 6 ações penais na 1ª Instância da Justiça Federal; o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), que é alvo de duas ações penais no STF; e o senador Fernando Collor (AL), réu na Lava Jato por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O ministro Carlos Marun, da secretaria de Governo, gravou um vídeo que vem sendo detonado nas redes sociais desde a sua publicação no último domingo. De dentro de um jatinho, Marun condicionou a redução da PIS/Cofins ao de corte de gastos. Marun usou três vezes a palavra responsabilidade para defender as medidas adotadas pelo governo federal.

A fala de Marun foi execrada nas redes sociais. “O cara tem a pachorra de fazer um vídeo durante o voo que estamos pagando”, escreveu um rapaz no Facebook. “Use um avião comercial ou até mesmo seu carro em nossas excelentes estradas, assim já será uma bela economia”, ironizou outro rapaz.

Marun disse que o movimento dos caminhoneiros se encerrou e as ações que continuam bloqueando estradas pelo país são de “infiltrados”. “Não é mais movimento de caminhoneiros, é de caroneiros. Temos relatos, inclusive, de caminhoneiros que foram pedidos de deixar o ponto de manifestação por pessoas que conhecem de caminhão no máximo por já ter passo perto o dia”, disse o ministro em entrevista da última segunda-feira, à Rádio Gaúcha.

Na última sexta-feira, 25, 53,5% dos posts em redes sociais e blogs eram favoráveis ao movimento / Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Agência Estado

Uma pesquisa da empresa Torabit, especializada em medição de comentários nas redes sociais, mostrou que o apoio explícito dos internautas à paralisação dos caminhoneiros, que entrou nessa segunda-feira, 28, em seu oitavo dia, caiu em 20 pontos porcentuais em três dias.

Na última sexta-feira (25), 53,5% dos posts em redes sociais e blogs eram favoráveis ao movimento – agora, essa proporção é de 34,5%. A medição do mais recente levantamento se encerrou às 10 horas desta segunda, 28. 

Já as avaliações positivas caíram de 52% para 45% – parte desses comentários, porém, destacava os efeitos da paralisação de forma negativa. O restante dos comentários foi avaliado como “neutro”

Dados

Para chegar aos dados, a Torabit mediu as reações no Twitter, Instagram, YouTube, Google+, páginas abertas no Facebook, blogs e sites de internet.

Em sites de notícias, segundo o Instituto Verificador de Circulação (IVC), a palavra “caminhoneiro” foi a mais clicada em todo o último fim de semana.

A vereadora do Recife e pré-candidata ao governo de Pernambuco pelo PT, Marília Arraes não descarta a possibilidade de apoiar a pré-candidatura Júlio Lóssio (REDE) ao governo de Pernambuco, caso sua candidatura seja rifada no próximo dia 10 de junho. Mesmo diante dos cenários desfavoráveis para Humberto Costa (PT), em números de delegados, o senador tem duas cartas na manga que são: o seu poder cartorial e a sua influência na direção nacional. Diante disso, Humberto pode frustrar a neta de Arraes, da mesma forma quando retirou João Costa (PT) da reeleição em 2012.

Mesmo sem fazer alarde, Marília já vem conversando nos bastidores com Júlio. Segundo fontes, Lóssio já vem ajudando o PT a se movimentar no estado sob o plano B de Marília. Mesmo o legado dos votos não sendo de Marília, Júlio vai se beneficiar em função do clima de mudança que existe instalado em Pernambuco. Marília se encontrou com Júlio Lóssio nesta segunda-feira em Petrolina.

not

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, através do Procon-PE, divulgou uma Nota Técnica, nesta segunda-feira (28), onde estabelece algumas regras para o abastecimento de combustível, durante a paralisação dos caminhoneiros. Com o objetivo de permitir que todos os consumidores tenham acesso ao produto, às notificações aos postos já foram iniciadas na noite de ontem (28) em estabelecimentos da Região Metropolitana do Recife (RMR).

As regras para o abastecimento são as seguintes:

  1. A limitação de 30 litros de combustível para veículos, por abastecimento, e de 10 litros, quando se tratar de motocicleta;
  2. O abastecimento estará condicionado à apresentação do documento do respectivo veículo, desde que também respeitada à ordem da fila no posto de combustível;
  3. O abastecimento em recipientes será permitido, desde que também seja apresentado o documento do veículo no nome da pessoa que se encontrar na fila, bem como o aludido recipiente cumpra as regras do INMETRO e da ABNT, visando à segurança da população pernambucana e conforme Nota Técnica divulgada pelo Corpo de Bombeiros.

Os estabelecimentos deverão praticar os preços do dia 21/05/18, um dia antes da paralisação iniciar. O órgão de defesa do consumidor irá intensificar as fiscalizações, mas o consumidor que presenciar algum descumprimento pode denunciar através das redes sociais do Procon, ou através do número: 0800.282.1512. As regras são válidas enquanto persistir o movimento de paralisação.

BOMBEIROS

O Corpo de Bombeiros também divulgou nota técnica orientando sobre a aquisição, armazenamento e transporte de combustíveis líquidos, evitando o risco de incêndio e explosões.

https://ichef.bbci.co.uk/news/660/cpsprodpb/10DC0/production/_101765096_anch3.jpg

As medidas anunciadas pelo governo federal para atender às demandas dos caminhoneiros em greve no País não aliviaram a tensão em pontos de bloqueio na Região Metropolitana de São Paulo. Nos bloqueios no ABC e na saída para o Sul do País, na Rodovia Régis Bittencourt, os motoristas diziam que o movimento ganhou na segunda-feira (28) força política, defendiam “intervenção militar” e afirmavam que o governo federal terá de cortar em 25% os preços de todos os combustíveis na bomba, além de eliminar o PIS/Cofins.

No início da noite, o clima era de revolta em pontos da Rodovia Anchieta, no ABC, e na área de Embu das Artes, na ligação do Rodoanel com a Régis Bittencourt. “Desde a noite de sábado (26) já sabíamos que esse acordo não ia atender a gente”, afirmou o caminhoneiro Alexandre Alencar, do Embu, que tem dois caminhões no protesto. “Isso não resolve nada. Ele tem de cortar 25% em todos os combustíveis na bomba”, afirmou Alencar, diante da barraca de alimentação dos motoristas paralisados na rodovia. Na Régis desde quarta-feira (23) o motorista José Jari, de São João do Sul (SC), disse que os caminhoneiros vão resistir. 

Anchieta 

Na Rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo, também não havia o menor sinal de fim da greve dos caminhoneiros que ocupavam o acostamento e parte do canteiro central na altura dos km 23 ao 25, sentido litoral. “Só vamos sair daqui quando o Temer sair de lá”, avisa Alexandre Alves, de 36 anos, que trabalha com um caminhão de abastecimento de combustível e tem auxiliado na triagem dos alimentos doados por comerciantes locais.

“Não sei se você está sabendo, mas hoje (29), à meia-noite, os militares vão tomar conta de tudo”, dizia ele, enquanto conversa com a reportagem de dentro da van onde estão estocados os mantimentos. 

A expectativa pela intervenção militar está presente no local, mas não que seja um norte, um desejo coletivo representado por algum núcleo organizado. Na verdade, encontra-se de tudo um pouco pelo asfalto na Anchieta. Desde caminhoneiro que deixou a pauta inicial – a redução no preço do óleo diesel – para reivindicar mudanças políticas maiores até gente que mora nas redondezas e passa por lá para dar algum tipo de apoio ao movimento. 

O “Fora Temer” é a única unanimidade presente em cartazes pendurados nas cercas das fábricas que circundam a região e no discurso de quem está envolvido com a greve. 

“Agora ele está perdido, não imaginava que o povo ficaria do nosso lado. Isso aqui virou algo maior, as pessoas estão cansadas desse governo. De que adianta resolver a questão do óleo diesel e descontar na gasolina? Eu não sou só caminhoneiro” afirma Gilson Antônio Benedecti, de 41 anos, sendo dez nas estradas. Com seu veículo parado no acostamento desde o primeiro dia da greve, ele não acredita que os caminhões voltarão a circular tão cedo. “Não enquanto o Temer estiver lá”, aponta.

Buzinas e desvio

Enquanto a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo esteve no local, presenciou motoristas que passavam e buzinavam em sinal de apoio aos grevistas, incluindo um grupo de motoboys. Um agente da Polícia Federal Rodoviária orientava os motoristas que se aproximavam do trecho com cones, desviando o fluxo em alguns momentos para a pista central. 

Na altura do km 280 da Régis, as faixas pedindo intervenção militar estão no alto da passarela e no gramado do local que serve de estacionamento para caminhoneiros. Um caminhoneiro que não quis revelar seu nome completo, mas identificou-se como Ademir, reclamava que o prazo de 60 dias estabelecido pelo governo é o problema. “Se o Temer colocasse na lei não os 60 dias, mas seis meses, isso aqui se esvaziava”.

O homem foi preso e conduzido para a delegacia da cidade / Foto: Divulgação/ Polícia Militar

Um homem foi preso após perseguir a companheira em Sertânia, no Sertão pernambucano, na manhã desta segunda-feira (28). De acordo com a Polícia Militar (PM), a mulher acionou a polícia informando que o suspeito estava procurando por ela armado com uma faca.

A mulher, de 27 anos, informou que havia saído de casa por causa de problemas no relacionamento. Seu marido, de 37 anos, estaria procurando por ela armado nas ruas da cidade. A PM foi até o local indicado pela vítima e encontrou o homem chegando em casa. Ele estava em uma moto e, ao avistar o efetivo, tentou jogar uma faca para dentro da residência.

O homem foi preso e conduzido para a delegacia da cidade. Segundo a PM, a intenção dele era cometer um feminicídio.

MACONHA

4.800 pés de maconha foram erradicados em ação conjunta da PF e PM / Foto: Divulgação/ 2ª CIPM

Cerca de 4.800 pés de maconha foram erradicados no último domingo, no Sertão de Pernambuco, em uma ação que envolveu as polícias Federal e Militar. Os policiais encontraram o plantio na Serra da Bananeira, em Cabrobó, após vistorias feitas na região.

De acordo com a PF, as plantas poderiam render 1,6 tonelada de maconha para consumo. Elas foram destruídas e incineradas. Ninguém foi encontrado no terreno, por isso não houve prisão. No entanto, foi instaurado um inquérito para identificar e investigar o proprietário, que pode ser indiciado por tráfico de drogas. Se condenado, o responsável pode ser punido com até 15 anos de reclusão, além da perda do lote para reforma agrária.

Estatística

A PF acompanha a produção da cannabis no Sertão, área de maior incidência, principalmente nos períodos de colheita. Mas as apreensões seguem durante todo o ano. De janeiro a março deste ano, as operações destruíram 226 mil pés de cannabis. De acordo com a corporação, a quantidade seria suficiente para produzir 75 toneladas de maconha. Ainda foram destruídos 68 plantios, 105 mil mudas e 43 kg de maconha pronta.

A portas fechadas, auxiliares de Temer reconhecem que demoraram a perceber a presença de empresários incentivando a continuidade do movimento / Foto:Divulgação/PRF

O governo já avalia, nos bastidores, que subestimou o potencial da greve dos caminhoneiros e agora tem receio de que o movimento tome uma proporção semelhante à dos protestos de 2013, ressuscitando o “Fora Temer”. Em conversas reservadas, interlocutores de Michel Temer admitem que a paralisação aumentou o desgaste do presidente e há preocupação de que os protestos nas ruas, por causa do desabastecimento, se transformem em uma convulsão social.

A portas fechadas, auxiliares de Temer reconhecem que demoraram a perceber a presença de empresários incentivando a continuidade do movimento, o chamado locaute, para obter a redução do preço do óleo diesel. Avaliam, ainda, que também demoraram a identificar o caráter político-partidário de parte dos manifestantes.

Acuado, o governo agora teme as consequências da disputa entre os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). “Temos de colocar menos gasolina e mais diálogo sobre a greve”, disse Maia, na segunda-feira, 28, após se reunir com Temer, no Planalto. O deputado fez questão de destacar que a Câmara e o governo têm “visões distintas” sobre a questão tributária.

Foi de Maia a proposta aprovada pela Câmara, na semana passada, zerando o PIS/Cofins sobre o diesel. Com cálculos errados nas mãos, ele chegou a dizer que o custo dessa isenção seria de R$ 3,5 bilhões, quando, na realidade, ficaria em aproximadamente R$ 10 bilhões.

As articulações de Maia, que é pré-candidato à Presidência, têm irritado cada vez mais o Planalto. Além disso, o governo identificou que simpatizantes do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) se infiltraram na greve. Há também apreensão com a promessa de greve de 72 horas dos petroleiros, anunciada para quarta-feira, 30. No diagnóstico do Planalto, esse movimento tem o apoio do PT e da CUT.

“Há movimentos político-partidários que querem agudizar a crise e a população deve estar atenta a isso”, afirmou o líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR). “Não dá para fazer disputa eleitoral em um momento como esse. Os petroleiros têm de discutir salário na data-base da categoria”.

São Paulo

Além de enfrentar desgaste, o Planalto também contrariou o governador de São Paulo, Márcio França (PSB). No sábado, 26, França propôs um acordo com os caminhoneiros muito parecido com o que Temer anunciou na noite de domingo, 29. Candidato à reeleição ao Bandeirantes, França pediu ao presidente que a negociação fosse feita com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. Temer, no entanto, enviou a São Paulo o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, pré-candidato do MDB ao Bandeirantes, não gostou do protagonismo dado à França, seu adversário. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Só nesta terça (29), estão previstos seis voos entre chegadas e partidas no Aeroporto de Petrolina / Foto: Reprodução/Google Street View

JC Online

Em comunicado divulgado na madrugada desta terça-feira (29), a Infraero informou que o Aeroporto Senador Nilo Coelho, em Petrolina, no Sertão do estado, é um dos nove aeroportos no país com falta de combustíveis. Segundo nota, “a empresa alertou aos operadores de aeronaves que avaliem seus planejamentos de voos para que cada um possa definir sua melhor estratégia de abastecimento de acordo com o estoque disponível nos terminais de origem e destino”.

De acordo com a Infraero, apesar da falta de querosene, o Aeroporto de Petrolina está aberto e tem condições de receber pousos e decolagens. “Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo”, comunicou.

A Infraero explica que os passageiros devem procurar as companhias aéreas para consultar a situação dos seus voos. Às empresas aéreas, foi recomendado que planejem os seus voos de acordo com a disponibilidade de combustível dentro da rota pretendida.

Horários

Até a última atualização no site da empresa, todos os voos de chegadas e partidas ao Aeroporto de Petrolina estariam mantidos. Confira:

Partidas

4071 Petrolina – Recife (7h – Azul)

6311 Petrolina – São Paulo (6h – Avianca)

6315 Petrolina – São Paulo (13h20 – Avianca)

6313 Petrolina – Salvador (17h25 – Avianca)

Chegadas

6312 São Paulo – Petrolina (12h50 – Avianca)

6314 São Paulo – Petrolina (16h55 – Avianca)

Avião do modelo C-13 Hércules, pousou no Aeroporto do Recife nesta sexta-feira, por volta das 4h / Foto: Isa Maria/ TV Jornal

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou ao Recife na madrugada desta terça-feira (29) com oito toneladas de medicamentos com destino a Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Os insumos médicos, direcionados ao tratamento de hemodiálise, desembarcaram na Base Aérea do Recife por volta das 4h e já foram levados ao Hospital Nefrológico SOS Rins, na capital do Agreste.

De acordo com a FAB, a aeronave C-13 Hércules trouxe os medicamentos de Montes Claros, em Minas Gerais, em apoio ao Ministério da Saúde, com o objetivo de minimizar os efeitos do desabastecimento provocado pela greve dos caminhoneiros, que chega ao seu 9° dia.

Essa ação irá ajudar a melhorar o atendimento do Centro Nefrológico, onde está sendo realizado o filtramento do sangue em tempo reduzido, por três horas, quando deveria ser feito em quatro horas. No hospital, pelo menos 40 pacientes fazem esse tipo de tratamento de hemodiálise.

Segundo a FAB, outro avião do mesmo modelo também irá pousar na capital pernambucana com mais oito toneladas de insumos médicos. Ainda não se sabe o horário que essa outra aeronave irá chegar na Base Aérea do Recife.

Situação de emergência

A Prefeitura de Caruaru decretou, na última quinta-feira (24), situação de emergência devido à falta de abastecimento de combustíveis por conta da greve dos caminhoneiros, que acontece desde de o dia 21. Segundo nota do Comitê de Gestão de Crise, liderado pela prefeita Raquel Lyra (PSDB), um diagnóstico apontou o impacto na disponibilidade de água, alimentos, medicamentos e outros insumos ligados às políticas públicas.

Uma das medidas em destaque foi o contingenciamento de toda a frota de veículos, de forma a permitir o funcionamento dos serviços públicos de urgência. Também foi organizada uma convocação da sociedade civil e das forças de segurança que atuam no município, para buscar, principalmente, uma solução conjunta em relação a essa situação excepcional.

http://4.bp.blogspot.com/-Mr45i8AddWs/VqdqgJ32VWI/AAAAAAAANUI/0BSZ1DQ0rcI/s1600/Geraldo.jpg

Apesar de a greve dos caminhoneiros estar chegando ao seu final pelo fato de suas reivindicações terem sido atendidas pelo governo federal, mais quatro municípios pernambucanos decretaram ontem (28) “estado de emergência” em decorrência dos transtornos causados por ela (greve) à população.

Foram São Lourenço da Mata, Camaragibe, Sertânia e Tabira, cujos prefeitos são, respectivamente, Bruno Pereira (PTB), Demóstenes Meira (PTB), Ângelo Ferreira (PSB) e Sebastião Dias (PTB-foto).

Após reunião extraordinária com seu secretariado realizada nesta segunda-feira (28), o prefeito Bruno Pereira assinou o Decreto nº 25/2018, que estabelece o “estado de emergência” em São Lourenço da Mata até que se resolva a crise do desabastecimento de combustíveis no município, que já dura uma semana.

O decreto coloca como prioritário o abastecimento dos veículos das áreas de saúde, educação, assistência social, segurança, limpeza pública e manutenção de estradas.

Os caminhões que fazem a coleta de lixo da cidade foram abastecidos hoje e trabalharão em esquema especial para regularizar a coleta em todo o município no menor prazo possível.

Já as aulas nas 45 unidades de ensino da rede municipal estão suspensas por causa dos problemas no abastecimento dos veículos que fazem o transporte escolar.

Já o prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), também decretou “situação de emergência” no município e autorizou a adoção de todas as medidas administrativas necessárias ao abastecimento da frota oficial.

Além disso, determinou a criação de um “comitê de crise”, sob responsabilidade do gabinete do prefeito, em conjunto com as secretarias responsáveis pela análise e processamento das demandas oriundas das áreas de saúde, educação, assistência social, limpeza pública, manutenção de vias, disciplinamento do trânsito, controle urbano e segurança.

Em Sertânia, o prefeito Ângelo Ferreira (PSB) também tomou essa mesma providência. A decisão considerou a paralisação dos transportes rodoviários em todo o país, “implicando a necessidade de providências para evitar a interrupção dos serviços essenciais à população do município”.

O prefeito também levou em consideração “os transtornos causados pelos bloqueios nas rodovias, incluindo o transporte de alimentos, remédios, combustíveis e itens de primeira necessidade”.

A “situação de emergência” autoriza a adoção de medidas administrativas necessárias para assegurar o retorno à normalidade, como a alocação de recursos orçamentários para custeio das ações emergenciais, a contratação emergencial de fornecimento de bens e de prestação de serviços necessários, dentre outros.

Em Tabira, o último a decretar situação de emergência, o prefeito Sebastião Dias (PTB), diz no decreto 006/2018 que: “Considerando os inúmeros transtornos decorrentes dos bloqueios de estradas, inclusive quanto ao transporte de alimentos, medicamentos, combustíveis e outros bens de primeira necessidade”.

“Considerando o dever do município de prevenir situações que possam comprometer a regular prestação de serviços essenciais à população e de evitar ameaças à ordem pública e aos direitos e garantias fundamentais dos cidadãos”.

Até agora, 63 municípios pernambucanos decretaram “situação de emergência”.

São eles:

Afogados da Ingazeira, Afrânio, Agrestina, Aliança, Arcoverde, Belo Jardim, Bom Jardim, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camaragibe, Carnaíba, Caruaru, Cortês, Cumaru, Cupira, Custódia, Dormentes, Escada, Exu, Flores, Garanhuns, Gravatá, Ibirajuba, Igarassu, Iguaraci, Inajá, Ingazeira, Ipojuca, Itaíba, Jaboatão dos Guararapes, Jaqueira, Lajedo, Moreno, Olinda, Palmeirina, Paranatama, Passira, Pesqueira, Petrolina, Pombos, Primavera, Riacho das Almas, Rio Formoso, Santa Maria da Boa Vista, São Caetano, São João, São Joaquim do Monte, São José da Coroa Grande, São Lourenço da Mata, São Vicente Férrer, Sirinhaém, Sertânia, Solidão, Surubim, Tabira, Tacaimbó, Tamandaré, Taquaritinga do Norte, Toritama, Trindade, Triunfo, Vertentes e Xexéu.

http://www.independentefm.com.br/wp-content/uploads/2018/05/chuva_afogados1.jpg

À tarde/noite desta segunda-feira (28), foi de chuva em algumas cidades do Sertão do Pajeú confirmando a previsão meteorológica. Em Afogados da Ingazeira foram registrados 22mm.

Choveu bem também nos municípios de Tabira e Ingazeira.

Na zona rural de Afogados da Ingazeira ouvintes do programa Rádio Vivo, da Rádio Pajeú AM, apresentado pelo comunicador Anchieta Santos, informaram ocorrência de chuvas nas comunidades de Dois Riachos, Carnaubinha, Jatobá, Várzea Cumprida, Jati, Leitão, Várzea, Varzinha e Jorge. Em Carnaíba, há relatos de chuvas em Ibitiranga, Capim Grosso e em Cacimbinha de Tavares.

http://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/2017/06/18/normal/69cd72500aca402c4f2d6457d0131de6.jpg

“A paciência do pernambucano está chegando ao limite.” A fala do secretário de Planejamento, Márcio Stefanni, em coletiva de imprensa do governo estadual, ontem (28), à tarde, deu o tom sobre a greve dos caminhoneiros, que chega ao nono dia. Na ocasião, ele informou que o governador Paulo Câmara se reuniu com o Ministério Público de Pernambuco para relatar as ações realizadas e se colocar à disposição para requisição de medidas, inclusive do uso de força.

“Não foi dado nenhum ultimato (aos caminhoneiros). Há notícias de que manifestantes levaram crianças e mulheres para os bloqueios, de forma a intimidar nossas forças de segurança. Elas são orientadas a retirar crianças e mulheres, para que, no caso de uso da força, a gente não machuque quem não deve ser machucado. A força do Estado tem que permanecer”, disse o secretário. Ele afirma que não é possível prever o fim do movimento ainda.

Desde a noite do domingo até o fim da tarde de ontem, 50 caminhões saíram do Porto de Suape carregados com combustível para atender à segurança e saúde. Uma pequena parte chegou ao consumidor. De acordo com o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, 14 caminhões com botijões de gás de cozinha que viajavam sem acompanhamento foram impedidos de entrar no porto. Agora, o governo busca apoio do Comando Militar do Exército para realizar escoltas de comboios para o interior do Estado. Além disso, negocia a liberação de 30% da frota com combustíveis que circulam normalmente no porto, o que corresponde a cerca de 150 caminhões. 

Na coletiva, o secretário de Saúde, Iran Costa, afirmou que o número de queimados aumentou 23% desde o início do ano. Por causa do aumento do preço do gás de cozinha, relacionado à revisão da política de preços da Petrobras, muitas pessoas passaram a usar álcool para acender lenha e carvão na hora de cozinhar.

PEDÁGIO

O Porto de Suape solicitou ao Consórcio Rota do Atlântico a implementação imediata da Medida Provisória nº 833/2018, que determina a isenção de pedágio sobre os eixos suspensos dos veículos de transporte de cargas que circularem vazios nas vias terrestres do País. “O governador já determinou a Suape, já foi comunicado que a concessionária Rota do Atlântico não cobre mais o eixo levantado. O governo federal abriu mão da Cide. Isso vai sair do bolso de todos. Os pernambucanos têm que saber que as obras das estradas serão prejudicadas por mais uma decisão tomada em Brasília e sem nenhuma conversa”, disse Stefanni.

Pesquisa de intenções de voto para a presidência da República divulgada nesta segunda-feira (28) pelo Instituto Vox Populi aponta que, se as eleições fossem realizadas hoje, o ex-presidente Lula (PT) venceria com tranquilidade já no primeiro turno. De acordo com a sondagem, Lula tem 39% das intenções de voto, 9% a mais que a soma dos 13 adversários citados, que chega a 30%. Neste levantamento, os nomes dos candidatos foram apresentados aos eleitores.

O segundo colocado na pesquisa, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), não chega nem na metade das intenções de voto de Lula e atinge apenas os 12%. Ele é seguido por Marina Silva (Rede), com 6%; Ciro Gomes (PDT), com 4%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 3% e Álvaro Dias (Podemos), com 2%. Henrique Meirelles (MDB-GO), Manuela D’Ávila (PC do B) e João Amoedo (Novo-RJ) têm cada um 1% das intenções de votos. Já Flávio Rocha (PRB-RN), Guilherme Boulos (Psol-SP), João Vicente Goulart (PPL), Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Paulo Rabelo de Castro (PSC) não pontuaram. O percentual dos que não vão votar em ninguém, brancos e nulos totalizou 21% e não sabem ou não responderam, 9%.

Pesquisa espontânea

O levantamento do Vox Populi sondou também os eleitores sem citar o nome dos candidatos, o que configura a pesquisa espontânea. Nesta modalidade, Lula segue liderando com ampla vantagem, atingindo 34% das intenções de votos. O segundo colocado é Jair Bolsonaro, que tem 10%; Ciro e Alckmin voltam a empatar, com 3% cada; Marina e Joaquim Barbosa, que desistiu da candidatura, surgem com 2% cada; e Álvaro Dias, com 1%. E 5% dos entrevistados disseram que vão votar em outros, 25% ninguém, brancos e nulos, e 16% não sabem ou não responderam.

Confira a íntegra da pesquisa aqui.