Foto: Roberto Soares/Alepe

A bancada de Oposição ao governador Paulo Câmara (PSB) lamentou por meio de nota o falecimento do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Guilherme Uchoa (PSC), ocorrido na madrugada desta terça-feira (03). Em nota assinada pelo líder da oposição na Alepe, deputado Silvio Costa Filho (PRB), destaca-se a atuação de Guilherme Uchoa à frente da presidência da Casa, que assumiu em 2007, no primeiro ano da gestão do ex-governador Eduardo Campos.

“Em seu sexto mandato e há quase 12 anos à frente da Casa, a sua atuação foi marcada principalmente pela forma como defendeu a autonomia do Legislativo. Pernambuco perde um grande quadro. Como homem público, sempre praticou a boa política, atuando com ética, seriedade e compromisso com os pernambucanos”, afirma a nota.

Confira a nota na íntegra

“Hoje é um dia triste para todos nós que fazemos a Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Foi com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento do deputado Guilherme Uchoa, presidente da Alepe. Em seu sexto mandato e há quase 12 anos à frente da Casa, a sua atuação foi marcada principalmente pela forma como defendeu a autonomia do Legislativo. Pernambuco perde um grande quadro. Como homem público, sempre praticou a boa política, atuando com ética, seriedade e compromisso com os pernambucanos.

Guilherme é um exemplo de homem público, pai e amigo. Ele pode imprimir uma gestão exitosa na Alepe, buscando a transparência do poder legislativo, melhorando a infraestrutura e ampliando o diálogo do Legislativo com todos os poderes, além de buscar ampliar os canais institucionais de participação popular, dialogando sempre com o povo de Pernambuco. Nossa solidariedade a toda família e amigos.

Bancada de Oposição de Pernambuco

Silvio Costa Filho, líder da Oposição” .

Renata Campos, viúva de Eduardo Campos, com o prefeito Geraldo Julio e o presidente da Alepe, Guilherme Uchoa (Foto: Rinaldo Marques/Alepe)

A Executiva Estadual do PSB divulgou uma nota em que lamenta “com grande pesar” a morte do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PSC), na madrugada desta terça-feira (03). Segundo a nota assinada pelo presidente estadual da sigla, Sileno Guedes, Uchoa, que assumiu a presidência da Alepe no primeiro ano de gestão do ex-governador Eduardo Campos, foi um “aliado importante e amigo do PSB”. 

“O Estado perde um importante líder político, que durante mais de duas décadas dedicou a vida à atividade pública. Aliado importante e amigo do PSB, Uchoa, como parlamentar e representante maior da Casa Joaquim Nabuco, sempre atuou em defesa de projetos prioritários para a população pernambucana, dando exemplos não só da sua lealdade, mas de responsabilidade com a gestão pública”, diz a nota, que destaca a atuação do parlamentar como juiz aposentado e o período em que exerceu o cargo de governador nas gestões de Eduardo Campos e do governador Paulo Câmara (PSB).

“Aos familiares e amigos, desejamos o conforto necessário neste momento de luto e dor”, diz a nota do PSB.

Iniciativa do Sesc, o projeto Brincando nas Férias está com inscrições abertas na cidade de Triunfo. Com o tema “A magia do circo”, a ação ocorrerá de 16 a 20 de julho, voltada para crianças de 5 a 12 anos.

A programação contará com atividades recreativas, artísticas e esportivas, somadas ao universo circense de maneira lúdica, com o desenvolvimento de brinquedos, mágica, oficina de malabares, apresentação cultural e brincadeiras circenses.

As inscrições podem ser feitas até 15 de julho no Ponto de Relacionamento com Clientes na Fábrica de Criação Popular do Sesc, localizada na Praça Dr. Arthur Viana Ribeiro. A taxa é de R$ 100 para o público em geral e R$ 50 para filho de trabalhador do comércio.

Presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Guilherme Uchôa (Foto: Katherine Coutinho/G1)

G1/PE

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa (PSC), de 71 anos, morreu nesta terça-feira (03), no Hospital Português, na área central do Recife. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da Alepe. O óbito ocorreu às 4h, em decorrência do agravamento do quadro de saúde do deputado, que teve edema pulmonar e parada cardíaca.

O parlamentar estava internado desde domingo (1º), depois ter problemas de saúde em casa, na Região Metropolitana, e ser levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A assessoria do Legislativo ainda não repassou informações sobre velório e enterro.

Na segunda-feira (02), o boletim médico divulgado pelo hospital informou que Guilherme Uchoa tinha apresentado melhora no quadro de saúde.

Por meio de nota, a unidade disse que o quadro era de pneumonia decorrente de broncoaspiração. Nesses casos, o paciente aspira secreções contidas nas vias aéreas ou de materiais estranhos às vias aéreas.

Durante a madrugada deste domingo (1º), Uchoa teve uma indisposição, segundo a assessoria de comunicação da Alepe. Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruz de Rebouças, em Igarassu, na mesma região.

No caminho, o deputado desmaiou e os médicos decidiram levá-lo ao Hospital Português. Ele deu entrada às 6h. Ainda de acordo com a Alepe, o governador Paulo Câmara (PSB) esteve no hospital para visitar o presidente do Legislativo.

Guilherme Uchoa estava no sexto mandato parlamentar e presidia a Alepe pela sexta vez consecutiva. Juiz aposentado, ele ocupou o cargo de governador de Pernambuco em virtude de ausência dos titulares.  

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/cd/Arcoverde-Pernambuco.jpg

A Federação da Indústria do Rio de Janeiro – Firjan atestou através do Índice Firjan de Desenvolvimento que Arcoverde mantém-se como município de desenvolvimento moderado nos quesitos Educação, Saúde e Emprego e Renda. O levantamento foi divulgado no final da tarde da última quinta-feira, dia 28 de junho.

Entre 2013 e 2016, Arcoverde registrou, de acordo com o Folha das Cidades, um aumento de apenas de 1,6% no seu Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) consolidado, subindo 13 posições, saindo da 34ª colocação para a 21ª em Pernambuco. Saiu de 0.6838 para 0.6946 pontos. Quanto mais perto de um, melhor é a colocação do município. Em 2012 o município ocupava a 30ª posição no Estado com um índice de 0.6775.

A geração de emprego foi o pior resultado de Arcoverde constatado pelo IFDM, segundo a Firjan nos primeiros quatros primeiros anos do atual governo. Arcoverde registrou uma queda de 15,9% na geração de empregos entre 2013 e 2016. Caiu de 0.6357 pontos para 0.5345 ficando com um desenvolvimento apenas regular.

Na saúde o índice de 2016 registrou um crescimento de 17,7% no comparativo com 2013, saindo de um IFDM de 0.6748 para 0.7947 No ano de 2013 foi registrada uma queda da ordem de 5% em relação ao ano anterior (2012) nesse item Saúde. Apesar do alto percentual, o município subiu apenas quatro posições no Estado no item Saúde, saindo da 134ª posição para a 130ª, ficando atrás de municípios como Canhotinho, Panelas, Alagoinha, Manari, Mirandiba, Poção, Itaíba, Flores, Venturosa, entre outros.

Já na Educação, Arcoverde registrou uma elevação de apenas 1,84% em 2016 com IFDM de 0.7546, comparando com 2013 que registrou um índice de 0.7410. Apesar da elevação, mínima, Arcoverde perdeu duas posições no Estado, saindo da 24ª colocação para a 26ª, atrás de cidades como Limoeiro, Bonito, Afogados da Ingazeira, Carnaíba, São José do Egito, Tuparetama, Triunfo, entre outros.

Os números consolidados do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal de 2016 colocou Arcoverde atrás de municípios como: Orobó, Belo Jardim, Tuparetama, Jucati, São José do Egito, Carnaíba, Rio Formoso, Camutanga, entre outros. Na classificação nacional, o município ficou na 2261ª colocação neste mesmo ano.

https://i1.wp.com/araripinaemfoco.net/wp-content/uploads/2018/04/IMG-20180406-WA0029.jpg?resize=1280%2C852

O já conturbado cenário da sucessão estadual ganha mais um capítulo. O Solidariedade (SD) decidiu, ontem, durante uma reunião das suas lideranças, marcar para o dia 4 de agosto a convenção que definirá o apoio da sigla à chapa majoritária que vai concorrer ao governo do Estado. Em nota, o partido informou que “há um grau elevado de insatisfação” na legenda que “culminou com a forma do governador, Paulo Câmara (PSB), em, sem diálogo, retirar a secretaria de habitação do Estado da indicação partidária do deputado federal Kaio Maniçoba (SD)”. Isso ocorre depois de serem iniciadas conversas, no último final de semana, entre o pré-candidato ao governo de Pernambuco pela frente das oposições, Armando Monteiro Neto (PTB), e o presidente regional do SD, o deputado federal Augusto Coutinho.

Kaio Maniçoba ocupava o cargo de secretário estadual da habitação, como indicação do MDB. Na janela partidária, Kaio migrou para o SD. Em tempos pré-eleitorais, a expectativa do SD era aumentar o espaço na gestão Paulo Câmara.

Ainda na nota, o partido diz que as suas lideranças sabem “o tamanho e a importância que o partido tem em Pernambuco, de forma a não aceitar a redução de seu papel de ação em Pernambuco”.

O encontro do SD contou com a participação das principais lideranças, da comissão executiva e dos principais pré-candidatos. Segundo a nota, na reunião “foram expostas dificuldades de concretizar acordos administrativos em todas as esferas”, indicando que “a necessidade de ajustes da relação entre a legenda e o governo” se deu antes do episódio da secretaria de habitação.

O sentimento das lideranças do Solidariedade é de que o partido está “subdimensionado”, como falou o presidente regional da legenda, o deputado federal Augusto Coutinho, na semana passada. Em Pernambuco, o SD tem três prefeituras, oito vice-prefeitos e 60 vereadores, além de um deputado estadual, Alberto Feitosa.

A indefinição do SD é vista com bons olhos por quem está do lado oposto ao governo. “Estamos confiante na ampliação da frente das oposições, incorporando novos partidos”, contou Armando Monteiro Neto, lembrando apenas que foi iniciada uma conversa com Augusto Coutinho e “não há nada fechado”. No último dia 21, o deputado estadual André Ferreira (PSC) e o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR), anunciaram o rompimento com o governo e passaram a fazer parte do Pernambuco Vai Mudar. 

E, por último, o adiamento da convenção do SD também passa por outra incógnita: a pré-candidatura de Marília Arraes (PT) ao governo de Pernambuco. A consolidação dessa pré-candidatura só vai ocorrer se o PSB não fechar um acordo nacional com o candidato petista que vai disputar a Presidência.

Pelas informações divulgadas na semana passada, o PSB está perto de fechar um acordo, em nível nacional, apoiando o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) à Presidência. A assessoria do governo de Pernambuco informou que não se pronuncia sobre a questão partidária.

https://i2.wp.com/giro.matanorte.com/wp-content/uploads/2017/10/09.04-REUNIAO-PLENARIA-VINICIUS-LABANCA-RS-1.jpg?resize=1050%2C700

Uma eventual saída do Solidariedade (SD) da base do governador Paulo Câmara (PSB) para as eleições deste ano poderá abrir mais uma lacuna na Frente Popular. Candidatos não faltarão para ocupar os possíveis espaços deixados pela sigla. Recentemente, o Partido Progressista (PP) obteve grande êxito nas negociações por mais presença no governo.

Como maior bancada na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) atualmente, a legenda agora comanda o Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem), o Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (Lafepe), o Porto do Recife, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, a administração do arquipélago de Fernando de Noronha, o Complexo Portuário de Suape e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Em um momento de insatisfação por parte do SD com o governo, o deputado estadual Vinícius Labanca (PP) afirma que os Progressistas estão satisfeitos em relação ao governador e afirma que o espaço foi merecido. “O PP não cobrou mais do que o seu tamanho. Hoje temos 14 deputados estaduais em uma Assembleia de 49 deputados. E também temos dois deputados federais.”

Indagado sobre a possibilidade de expandir a presença do partido na gestão, Vinícius complementa: “Abrindo novos espaço, espero que o governador entenda quem está ao seu lado nesse momento e quem não está”.

O deputado federal Eduardo da Fonte (PP), presidente do partido em Pernambuco, acredita na permanência do SD na base governista e complementa afirmando que o partido foi atendido em suas demanda. “O PP foi o partido que mais cresceu com a mudança partidária. Muitos prefeitos e parlamentares vieram para o nosso partido. O PP se sente contemplado, mas o momento agora não é de debater espaço, mas trabalhar na disputa majoritária”.

Em resposta, o deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB), líder do governo na Alepe, ameniza o impacto da possível decisão do SD e afirma que “qualquer negociação sobre espaço deverá ser feita a partir de um ato concreto”. “Uma decepção não boa, mas o governo está construindo uma base sólida de apoio”.

André Ferreira e Bruno Araújo

Folha Política

Presidente estadual do PSDB, Bruno Araújo, encontra-se, ao longo desta semana, fora do País. Mas as conversas sobre composição da chapa majoritária da oposição seguem ocorrendo. Ontem (02), o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, chegou a dialogar com o senador Armando Monteiro Neto sobre essas arrumações. Depois que o processo que investigava Bruno Araújo – no qual ele era citado no inquérito da Odebrecht, – foi arquivado pelo ministro do STF, Dias Toffoli, a possibilidade de o tucano vir a ocupar a vaga do Senado passou a ser ventilada.

Embora já tenha aberto mão do referido espaço em prol da atração de uma sigla nova para o bloco, o PSDB segue trabalhando para estar na chapa e não descarta que Bruno possa vir a se colocar como alternativa para a Casa Alta. Diante do novo cenário, o deputado estadual André Ferreira admite, à hipótese de fazer um gesto ao tucano. “Do jeito que ele abriu espaço para gente, a gente abriria para ele”, considera o parlamentar, que tem o nome cotado para concorrer a senador. E emenda: “Estamos muito alinhados”. Em relação ao plano original de disputar a Casa Alta, André pondera: “Estamos fazendo uma avaliação”. E observa: “Esse espaço já foi cedido para o PSC, mas isso não impede que outro partido da frente venha a ocupá-lo”. André, então, assegura que isso “não vai ser um cavalo de batalha”.

Durante o ato no qual os Ferreira declararam apoio às oposições, André realçou que não chegava para impor. De outro lado, o processo, agora, arquivado por Toffoli era empecilho considerável para Bruno encarar o desafio de ingressar na majoritária. Solucionada a pendência, os cálculos na oposição podem ser refeitos. André e Bruno devem conversar na semana que vem, quando o tucano retornar ao Brasil.

Postos de atendimento do Detran para esse tipo de serviço já estão desativados / Foto: Antony Sappres / Fotos Públicas

As vítimas de acidentes de trânsito que precisarem solicitar indenização do seguro DPVAT a partir desta segunda-feira (1º) terão que levar a demanda apenas à Seguradora Líder dos Consórcios. Isso acontece porque a seguradora não renovou o contrato com os sindicatos dos Corretores. Antes dessa decisão, o Detran e algumas delegacias faziam parte dos pontos de auxílio, mas foram excluídas do roteiro.

Restrição de pontos

Segundo Carlos Valle, presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros de Pernambuco, a novidade é negativa, uma vez que monopoliza o atendimento retardando o serviço. Ele explica que, somente em Pernambuco, cerca de 1.500 Corretores de Seguros, em pontos diversos, prestavam atendimento às vitimas e beneficiários de acidentes de trânsito, orientavam, esclareceram e ajudavam na divulgação do serviço. A partir desta segunda-feira (1º), o cenário é outro.

“Lamentamos a decisão tomada pela Seguradora Líder, de forma unilateral, o que sem dúvida resultará em prejuízos à sociedade, inclusive importantes instrumentos de combate à fraude e de atendimento humanizado e de forma gratuita em todos os estados do Brasil”, disse Carlos Valle.

De acordo com ele, somente a Seguradora Líder, na qualidade de detentora da administração do Seguro DPVAT e responsável por todo o atendimento e liquidação do seguro, deverá a partir de agora cumprir com suas obrigações, prestando esse atendimento. Os postos de atendimento do Detran para esse tipo de serviço já estão desativados.

Dilma em ato em Curitiba, em abril.

Por Afonso Benites/El País

Quase dois anos depois de ser destituída da presidência da República por meio de um impeachment, Dilma Rousseff volta à cena político-eleitoral. A petista anunciou sua pré-candidatura ao Senado pelo seu Estado natal, Minas Gerais. Após meses de especulação, a confirmação de que a ex-presidenta buscará uma redenção — e um novo rumo político— nas urnas, com o incentivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, se deve a uma série de fatores, entre eles o desejo de ter um palco para defender suas ideias e confrontar as agendas dos Governos petistas (2003-2016) e a de seus principais adversários, o PSDB e seus satélites (1995-2002).

Seu principal adversário ao Senado pode ser Aécio Neves, o mesmo que disputou com ela, e perdeu a Presidência em 2014. Se a candidatura do tucano é incerta por causa dos escândalos de corrupção que o envolvem – nem mesmo seus aliados o querem no mesmo palanque—, a dela também pode sofrer alguns questionamentos jurídicos. É que Dilma só conseguiu manter seus direitos políticos após costurar uma manobra no Senado Federal que a cassou. A primeira batalha já foi anunciada. O PSDB de Minas Gerais tentará evitar que ela seja candidata por entender que, por ter sofrido impeachment, ela teria seus direitos políticos cassados. Quando a petista foi destituída, o Senado votou uma cláusula que mantinha o direito da ex-presidenta de concorrer, desde que não fosse para o cargo máximo da República. Ou seja, os senadores a liberaram para disputar vagas no Congresso Nacional. Os tucanos dizem que, se o Ministério Público Eleitoral não impugnar a candidatura dela, o próprio PSDB o fará.

Minas mais fácil do que o Rio Grande do Sul

Antes mesmo de ser indagada sobre a razão de estar concorrendo por Minas, onde nasceu, e não pelo Rio Grande do Sul, onde fez sua carreira política, a ex-presidenta afirmou, na semana passada: “Por que Minas Gerais? Primeiro porque eu nasci aqui (…). Não saí daqui porque quis. Saí porque eu fui perseguida pela ditadura militar”. Militante de movimentos de resistência ao regime militar, Rousseff se mudou para Porto Alegre e acabou presa e torturada.

Essa mudança de domicílio eleitoral será um dos pontos a serem explorados pelos seus adversários em um dos Estados mais bairristas do país. “Ela veio para cá para explorar o discurso nacional. Colocar em debate duas agendas para o país. Mostrar que, depois que ela saiu do Governo, estamos passando por um desmonte. Não se trata de ser uma eleição mais fácil do que em outros lugares”, afirmou o deputado federal Patrus Ananias (PT-MG), que será um dos articuladores da campanha dela ao Senado.

Apesar das falas oficiais seguirem neste caminho, uma das análises do PT é a de que no Rio Grande do Sul Rousseff poderia dividir votos com Paulo Paim, um histórico senador do partido que disputará a reeleição. Em Minas, não havia um candidato ao Senado pela legenda com tanta aceitação popular. Além disso, a máquina estatal está nas mãos do amigo da ex-presidenta, o governador Fernando Pimentel, que concorrerá à reeleição.

E como enfrentar a má avaliação de seu Governo que, na véspera do impeachment, tinha a aprovação de 8% da população? “Há um crescente sentimento da população de solidariedade a ela e de repulsa ao golpe que a afastou da presidência. Tanto que a aprovação ao presidente que a substituiu [Michel Temer] é de 4%. E a rejeição supera os 80%”, diz Patrus.

Apesar de Rousseff querer se digladiar com Aécio, o fato é que ambos poderão ser eleitos. Neste ano, cada Estado elege dois senadores. As pesquisas mais recentes colocam tanto a petista quanto o tucano com chances de eleição. Dilma teria 13% dos votos dos eleitores mineiros. Aécio, 12%. Em uma pesquisa que tem margem de erro de dois pontos percentuais, estão tecnicamente empatados com outros dois concorrentes: Bruno Siqueira (MDB, 13%) e Carlos Viana (PHS, 11%). O primeiro embate de Aécio, contudo, será contra seus aliados. Seu afilhado político e pré-candidato ao Governo, o senador Antonio Anastasia, já deixou claro que não quer dividir o palanque com ele. Uma possibilidade é que Aécio concorra a uma vaga na Câmara.

Documento elaborado pela CNI (Confederação Nacional das Indústrias) aponta que a falta de segurança no Brasil custou R$ 365 bilhões em 2017. O valor equivale a 5,5% do PIB. Com o nome de “Segurança pública: A importância da governança”, o relatório é um dos 43 a ser apresentados aos pré-candidatos ao Planalto. Entre as medidas também estão sugestões para o recém-criado Susp (Sistema Unificado de Segurança Pública).

As sugestões serão discutidas com os políticos na sabatina “Diálogo da Indústria com os Candidatos à Presidência da República” organizado pela Confederação, nesta quarta-feira (04) em Brasília. O evento deve reunir cerca de 1.500 líderes empresariais no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB).

“Uma solução para a segurança pública começa pela governança. É preciso ter coordenação das ações entre os diversos entes federativos. É preciso ter boas estatísticas para que tenhamos um combate ao crime mais efetivo e mais bem planejado”, diz o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca.

O estudo também analisa a relação entre competitividade das empresas públicas e a falta de segurança. A CNI indica que o aumento nos casos de roubos de cargas, por exemplo, tem impacto direto no bolso do consumidor, já que as perdas das empresas com mercadorias é repassada no preço final de bens e serviços.

Além disso, tem havido gastos crescentes com segurança privada e com seguros, sendo que os prêmios de seguros de mercadorias chegam a alcançar 30% o valor da mercadoria.

Outra vertente é o planejamento das ações de segurança. A confederação sugere que o papel do Governo Federal seria o de gerenciar as políticas de segurança pública, atuando “como principal agente de indução e coordenação”.

O estudo também analisa a qualidade dos gastos, observando que houve piora nos índices de violência, mesmo diante do aumento real nos gastos com segurança pública. Entre 2007 e 2016, houve aumento real (já descontada a inflação acumulada no período) de 27,5% nos gastos realizados por União, estados e municípios na área, fazendo que as despesas cheguem a 1,3% do PIB – próximo à média da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

O empresário Joel Malucelli ao lado do senador Álvaro Dias (Foto: Reprodução/Facebook)

O empresário Joel Malucelli encaminhou uma carta ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), para pedir licença da condição de primeiro suplente do senador e presidenciável Álvaro Dias (Podemos-PR). Segundo Malucelli, citado numa delação da Lava Jato há uma tentativa de atacá-lo para prejudicar Álvaro Dias.

Na missiva, Malucelli diz, ainda, que tem muitos compromissos profissionais e que isso prejudicaria sua atuação em eventual saída de Álvaro da função.

Ao abrir mão de ser primeiro suplente, Malucelli cede espaço para o segundo suplente: Severino Araújo (PSB).

http://blogdofinfa.com.br/wp-content/uploads/2018/07/expo8-768x512.jpg

Por Pedro Araújo

Quando se reúne uma equipe competente é quase certo que os frutos valerão a pena ser colhidos. Vocês do governo José Patriota, que fizeram parte da organização da 14ª Expoagro em Afogados da Ingazeira superaram todas as expectativas e foram ainda mais longe que o previsto.

Costumo dizer que a linha do Blog PE Notícias é de independência, quer seja na área político-partidária, quanto nos acolhimentos bondosos de qualquer gestão. São merecedores de críticas aqueles maus feitores, e certamente elogios aos que prezam e zelam pela perfeição. Por vezes somos criticados por fazermos cobranças em diversos níveis, quer seja municipal, estadual e até federal. Mas imaginem se não houvesse tais cobranças? Aqui não se combate o ser humano, a pessoa física de qualquer gestor, mas as suas práticas, que muitas vezes são questionáveis e inerente a cobranças, muitas delas, cobranças duras. Todavia, qualquer que seja a gestão, está também, passível de elogios quando necessário, e disso não fugimos um ponto a nossa linha editorial.

Em vivenciando mais uma Expoagro, que engloba as festividades de emancipação política de Afogados da Ingazeira, que comemorou em grande estilo os seus 109 anos de história. Estamos de pronto para, em nossa ótica, fazermos os elogios ao que foi mostrado durante todo o evento. Algumas coisas se destacam, como por exemplo, a equipe do prefeito José Patriota, aos olhos de muitos, um líder, foi inconteste. José Patriota foi o cabeça no enfrentamento do sucesso de mais uma festa que a cada ano tem deixado dividendos para o município. O prefeito tem como auxiliar, e não como vice-prefeito, o jovem e competente Alessandro Palmeira, muito ativo, no diálogo com os visitantes, tirando muitos “aborrecimentos” dos ombros do gestor, mostra como poucos a habilidades de como tratar com zelo àqueles que o cerca.

Como não destacar a pessoa do secretário de Cultura e Esportes, Edygar Santos, fino trato, sempre pronto no atendimento daqueles que procuravam sobre os shows, do horário dos artistas, da programação e seus horários, isso sem distinguir o início e o fim de cada apresentação, estava sempre pronto, para os olhos do blog PE Notícias, o ponto elogiável da equipe. A secretária-executiva do prefeito José Patriota, Lúcia Gomes esteve presente na coordenação do camarote oficial, camarote este, que existe em todos os âmbitos políticos, quer seja em governo municipal, estadual ou mesmo federal, onde o gestor recebe seus convidados advindos de outros estados, municípios, a exemplo de prefeitos, vices, vereadores, enfim convidados. Muito atuante a secretária-executiva, sendo assim merecedora de elogios.

Pessoa de destaque no cumprimento de orquestrar a cerimônia do camarote, o assessor especial do município, Elias Lira, muito presente, dando todo suporte para que toda e qualquer anormalidade não atrapalhasse os convidados, pela experiência vividas em outras expoagros, Elias Lira ”tirou de letra” para colaboração no sucesso do evento.

Pronto fraco, e passivo de críticas, não só aqui, mas de outros que se manifestaram no camarote oficial, ficou por conta de alguns seguranças de uma empresa privada, que sem ter, ou rogando não ter, nenhuma consciência do que lhes fora ordenado para colaborar com as festividades, tais seguranças deixavam seus postos e subia no camarote para competir com os convidados, e parecendo fazer seus liberticídios sem levar em consideração as inúmeras reclamações de parte dos organizadores, levando bebidas e os quitutes servidos pelo Buffet contratado para fora das dependências do camarote, coisa repugnante de se ver. Mas essa crítica é plausível de um acerto no futuro, entregando a empresa privada de segurança quando esta for contratada, os seus maus colaboradores, e que pelo que fizeram, prestam um desserviço e macula a imagem do propósito para qual foram contratados. Nesta terça publicaremos o sucesso na areia da exposição de animais e a comercialização destes. 

Dias Toffoli manda tirar tornozeleira eletrônica de Dirceu

O ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), cassou nesta segunda-feira (02) decisão do juiz Sergio Moro que havia determinado que o ex-ministro José Dirceu colocasse tornozeleira eletrônica.

Dirceu foi solto por decisão da maioria dos ministros da Segunda Turma, que, na última terça (26), lhe concedeu de ofício um habeas corpus para que ele espere em liberdade o julgamento de uma reclamação apresentada por sua defesa ao Supremo.

Toffoli considerou que Moro extravasou sua competência ao impor a Dirceu outras medidas cautelares, como o uso de tornozeleira.

“O Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR, em decisão com extravasamento de suas competências, restabeleceu medidas cautelares diversas da prisão, outrora determinadas em desfavor do paciente, à míngua de qualquer autorização deste Supremo Tribunal Federal, que, em decisão colegiada da Segunda Turma, deferiu medida cautelar em habeas corpus de ofício, para assegurar a liberdade plena ao ora reclamante até a conclusão de julgamento da ação”, escreveu o ministro do STF.

Ainda segundo Toffoli, questões atinentes à execução provisória da pena ou a medidas cautelares diversas da prisão -que não foram impostas pelo STF- deveriam ter sido apreciadas pela Vara de Execução Penal do Distrito Federal, que tem a jurisdição sobre o processo de execução de Dirceu, e não pelo juiz de Curitiba.

Dirceu cumpria pena na Papuda, em Brasília, até obter o habeas corpus. Ele foi condenado em segunda instância na Lava Jato a 30 anos e nove meses de prisão.

O argumento da Segunda Turma para lhe conceder o habeas corpus de ofício foi a plausibilidade jurídica de seu recurso no STJ (Superior Tribunal de Justiça) no tocante à dosimetria (tamanho da pena).

Toffoli determinou que Moro seja comunicado com urgência sobre sua decisão de retirar a tornozeleira eletrônica. Com informações da Folhapress.

Geddel desacata agente prisional e mostra partes íntimas

O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi enviado para a solitária após agredir verbalmente um agente penitenciário na Papuda, onde está detido. A notícia foi divulgada pelo Metrópoles, e, de acordo com fontes do presídios ao site O Antagonista, Geddel teria ainda mostrado as partes íntimas ao funcionário público.

A visita do irmão do político teria sido o estopim para o início do confronto, uma vez que o ex-ministro teria sido submetido à uma revista pessoal antes de voltar à carceragem. Revoltado com o ocorrido, o baiano teria ofendido um dos servidores prisionais, tal como consta no registro de ocorrência.

Pela má conduta, Geddel ficará detido em um cubículo com estrutura inferior à da cela onde está preso desde setembro de 2017, na Ala A do Bloco 5 do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

A Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal (Sesipe) confirmou que o ex-ministro foi isolado em cela especial por ter desrespeitado um agente carcerário durante uma revista pessoal.

Geddel está preso respondendo por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução de investigação. Ele foi denunciado na Operação Cui Bono? Mas também virou alvo da Polícia Federal após serem encontrados R$ 51 milhões dentro de malas em um apartamento ligado a ele, em Salvador.