Migração de 'voto Ciro' no Ceará tem outdoor pró Bolsonaro e apoio a PT

Da BR-222, principal ligação entre Fortaleza e o norte do Ceará, é possível ver a foto gigante de Jair Bolsonaro em um outdoor na entrada de Irauçuba, encravada no sertão cearense a 150 km da capital e com 24 mil habitantes. A imagem surpreende quem chega por lá e conhece o perfil dos eleitores da cidade: apenas 9,8% dos votos foram ao candidato do PSL no 1º turno.

Ciro Gomes (57%) e Fernando Haddad (31,3%) foram os preferidos, e a população apoiou em massa a reeleição para governador do petista Camilo Santana (quase 95%), que se dividiu entre os palanques de Ciro, seu padrinho político, e Haddad.

“Tenho ouvido muita gente que apoiava Ciro que diz que vota em Bolsonaro agora. Acho que ele terá uma votação surpreendente por aqui”, disse Jango Beltiman, 26, mecânico na oficina de motos de Luis Carlos da Silva Mota, um dos patrocinadores do outdoor.

Um grupo de comerciantes de Irauçuba decidiu fazer uma vaquinha para colocar a placa no ponto estratégico. A empresa de Mota foi escolhida porque era o ponto mais alto e mais próximo da rodovia. Pela legislação eleitoral o outdoor nem poderia estar ali. Se o TSE decidir intervir, caso haja denúncia, quem o colocou pode pagar multa que pode chegar a R$ 25 mil.

A votação expressiva de Camilo Santana na cidade, dizem alguns moradores, ocorreu principalmente devido à promessa de asfaltar duas estradas que ligam a BR-222 a distritos mais afastados, como o de Missi. No caminho de terra que leva até lá, se vê muitas faixas e adesivos de Ciro, várias do PT e nada de Bolsonaro.

“Não sei se o pessoal daqui vota no PT por causa do asfalto, mas não vou votar em quem não tem proposta alguma [se referindo a Bolsonaro]”, disse Kellyson Barbosa, 31, que vive na Fazenda São José, próximo de Missi.

A 78 km de Irauçuba, sempre pela BR-222, está Sobral. Com mais de 200 mil habitantes é o berço político dos Ferreira Gomes, que tem como principal representante Ciro. Na terra dos FG, o beco do cotovelo, no centro, é uma pequena via fechada a carros com lojas e lanchonetes e onde todo mundo sabe de tudo. E por ali há quem admita que a migração de votos de Ciro Gomes pode não ir nem para Bolsonaro nem para Haddad.

“Muita gente aqui que é Ciro está dizendo que pode votar branco ou nulo. Tudo muito dividido, mas pela minha preferência é o Haddad”, disse Expedito Vasconcelos, 72, dono do Café Jaibaras.

A poucas quadras dali está a clínica e pet shop na qual trabalha a médica veterinária Fabia Karennina Mendonça Passos Braga, 40. Não por acaso ela foi escolhida, ou decidiu ser, a líder do PSL na cidade dos Ferreira Gomes. É filha de Fabio Passos da Silva, amigo de longa data de Bolsonaro, e personagem em evento importante na migração de militar para político do deputado.

Nos anos 1980, Jair e Fábio, na época colegas na Esao (Escola Superior de Aperfeiçoamento de Oficiais), foram apontados como autores da ideia de colocar bombas em quartéis como protesto aos baixos salários dos militares. Ambos negaram e foram absolvidos pela Justiça Militar.

“Sou fã do Bolsonaro desde os oito anos de idade. Quando ele se filiou ao PSL eu fui a Brasília no mesmo dia para me filiar também”, diz Fabia, que não se intimida ao ouvir que pessoas dizem que Bolsonaro é racista e homofóbico.

“Olhe meus traços. São de negro. Meu pai é negro, e era um dos melhores amigos de Bolsonaro”, disse Fabia, que tentou vaga na Assembleia cearense mas teve pouco mais de 800 votos e não se elegeu.

Mesmo assim a campanha em Sobral surpreendeu até mesmo representantes do PSL. Ciro, como esperado, venceu com 60,2% dos votos, mas Bolsonaro ficou com 20,68%, à frente de Haddad (16,08%), em um dos melhores desempenhos do capitão reformado no interior cearense.

Caucaia faz divisa com Fortaleza e é a segunda cidade mais populosa do Ceará, com mais de 360 mil habitantes. O mercado central está repleto de ambulantes, que vendem de peixe a bugigangas de R$ 0,99. Uma só barraca vende um item com alta procura por R$ 25 (negociáveis): a camisa com a foto de Bolsonaro.

“Está vendendo bem. Minha mãe não queria colocar, por medo que alguém não gostasse, mas meu pai fez questão”, diz Fernanda da Silva, 17. Com informações da Folhapress. 

Pablo Jacob

Até o final do dia de hoje, Jair Bolsonaro alcançará 17 milhões de seguidores e fãs nos seus perfis oficiais no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube.

Neste momento, Bolsonaro já conta com 16.985.941 seguidores.

Desde o início da campanha, em 16 de agosto, o capitão ganhou 7,8 milhões de fãs nessas redes.

Queda em roubos de carga faz Correios retirarem taxa para encomendas

Com a redução dos roubos de carga, os Correios decidiram suspender uma taxa extra de R$ 3 que era cobrada dos clientes por cada encomenda entregue na região metropolitana do Rio de Janeiro desde abril. A extinção da cobrança foi anunciada nesta segunda-feira (22) pelo presidente da empresa pública, Carlos Roberto Fortner, depois de uma reunião com o general Richard Nunes, nomeado secretário de Segurança Pública após a intervenção federal no estado.

A taxa será retirada a partir de 16 de novembro, para que dê tempo de atualizar o sistema das tabelas de preço. Ela vinha sendo recolhida desde 10 de abril, segundo os Correios, para cobrir os custos adicionais de medidas como o pagamento de indenizações e a necessidade de vigilância e escolta armada.

Na ocasião, foi anunciado que a cobrança poderia ser suspensa caso os índices de criminalidade diminuíssem. Desde então, a empresa vem acompanhando mensalmente os números apresentados pela Secretaria de Segurança do RJ.

“Temos observado que os índices vêm caindo sistematicamente, a ponto de termos hoje índices equivalentes aos de 2012”, disse Fortner à imprensa. “Nós temos hoje, com relação ao ano passado, uma redução de 60% nos crimes contra os Correios”.

Apesar de não ter conseguido reduzir os homicídios e ter feito disparar as mortes por policiais, a intervenção federal de fato conseguiu reverter à tendência de alta nos roubos de carga no estado, que vinham crescendo ininterruptamente desde 2014.

Houve 5.298 casos de março a setembro deste ano, ante 6.463 no mesmo período do ano passado -uma queda de 18%. Quando se considera o estado como um todo, porém, a informação de que os índices voltaram ao patamar de 2012 não se confirma: foram 2.115 no mesmo intervalo daquele ano.

A intervenção foi decretada de forma inédita pelo presidente Michel Temer (MDB) em 16 de fevereiro e significa que as polícias, os bombeiros e as prisões do RJ estão sob responsabilidade do governo federal até dezembro. 

“Incorporamos à mancha criminal do roubo de cargas uma mancha criminal específica para os Correios. A partir daí pudemos trabalhar de forma integrada e o benefício veio para todos”, afirmou o secretário nesta segunda.

SEM ENTREGA

Em fevereiro, reportagem da Folha de S.Paulo mostrou que a explosão da criminalidade nos últimos anos levou os Correios a suspender a entrega de produtos em quase metade da cidade do Rio.

Dos 27.616 endereços da cidade, 12.037 tem algum tipo de restrição, o que equivale a 44% do total, segundo dados que integram a base do sistema de informação da empresa.

Em mais da metade deles (6.469), a entrega só ocorre com o uso de aparato especial de segurança, como escolta armada, o que obrigatoriamente provoca a ampliação dos prazos para recebimento de produtos.

No restante dos casos (5.568), porém, a distribuição não ocorre de forma nenhuma e os clientes precisam buscar a encomenda em uma unidade dos Correios. Na zona norte, por exemplo, há uma série de distritos com veto total de entregas em 100% dos endereços.

A maior quantidade de CEPs sem restrição de entrega está na zona oeste e na zona sul, como Botafogo, Ipanema e Copacabana, mas até essas regiões na área nobre estão cravejadas de pontos sem acesso dos carteiros, em comunidades controladas pelo crime em meio a bairros mais ricos. Com informações da Folhapress.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, ficou como o responsável por centralizar informações e fazer a interlocução com o novo governo, que for eleito no próximo fim de semana. A informação foi dada pelo presidente da República, Michel Temer, durante reunião com ministros, nesta segunda-feira (22).

Segundo o presidente, o objetivo é melhorar a transição e evitar conflitos ou problemas que possam prejudicar a preparação da nova administração. “Se falarmos de maneira espaçada, pode ocorrer algum equívoco que seja prejudicial para o novo governo”, afirmou o presidente, em declaração nas redes sociais.

“A transição será operada e executada em definitivo depois que o novo presidente indicar os vários representantes seus que vão manter contato permanente com a Casa Civil”, explicou.

“Em poucos dias, o País vai decidir o próximo presidente da República. Hoje, me reuni com ministros para avançarmos no tema da transição de governo e garantirmos uma condução tranquila e transparente do repasse dos trabalhos”, concluiu Temer.

Após dois anos de testes, a companhia pernambucana Magnum Tires lança no mercado o primeiro pneu com a sua marca. A empresa, que é a maior importadora e distribuidora de pneus e câmaras de ar do Brasil, também está investindo R$ 5 milhões na automatização e na verticalização do estoque, que consiste na criação de formato uniforme de controle e entrega dos produtos. O centro de distribuição da marca, localizado na Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, passará por uma modernização e receberá novos equipamentos.

Segundo o diretor da Magnum Tires, Apolo Santana, o investimento maior será na parte de tecnologia para logística, com o intuito de melhorar o serviço. “Esse investimento é fundamental e pretendemos com isso aumentar em 20% a movimentação de carga. A cadeia produtiva vai aumentar e teremos mais caminhões chegando”, disse.

Apolo destacou que a compra dos novos equipamentos vai ampliar a eficiência da movimentação de produtos. “Estamos buscando modernizar esse serviço. O centro de distribuição de Recife é grande, e está sendo aprimorado”, contou.

Mas além do foco na distribuição, a empresa planeja implantar uma linha de produção no Recife. “A gente tem pensado bastante nisso, mas ainda de forma embrionária. Com a criação da nossa marca exclusiva de pneus, alimentamos a ideia de futuramente industrializar no Brasil esse produto. Essa é uma ideia natural, estamos arraigados aqui, e nada mais sensato do que pensar na industrialização. Existem insumos e podemos pensar nisso para o futuro. É uma tendência”, afirmou.

A Magnum distribui produtos de mais de 15 empresas de diversos países, como Coreia, China, Índia, Japão, entre outros. Para 2018, a empresa espera crescer 20% em relação ao ano anterior, visto que agora a empresa também conta com sua marca própria – fabricada no Vietnã – e realizou recentemente um investimento de mais de R$ 200 mil para a construção de uma loja conceito, a Pinheiro Pneus, em Petrolina. “Somos uma empresa evidentemente atacadista, e estamos visando o varejo com essas ações. A loja é terceirizada, mas é um protótipo do que serão as nossas lojas no futuro”, disse Santana.

Além do investimento em Pernambuco, a Magnum também está inaugurando um novo centro de distribuição em Juazeiro do Norte, no Ceará, que já está funcionando no sistema de soft opening. O novo centro de distribuição da Magnum Tires em Juazeiro do Norte ocupa uma área útil de 500 metros quadrados e é fruto de um aporte de mais de R$ 1 milhão.

Folha Política

O governador Paulo Câmara estará em férias do dia 10 ao dia 20 de novembro. Faz as malas para embarcar rumo à Espanha. E só tratará de reformulações no secretariado quando retornar de viagem.

De antemão, algumas mudanças já são dadas como certas no Palácio das Princesas. Estão no radar, por exemplo, o redimensionamento do PP. No governo, a expectativa era de que Eduardo da Fonte tivesse entre 250 mil e 300 mil votos. Mas o resultado do dirigente do Partido Progressista em Pernambuco ficou abaixo disso: 113.640. Também ficou aquém das previsões o quantitativo de votos do deputado estadual Cleiton Collins (106.394), antes o mais votado, ele perdeu espaço para Gleide Ângelo (412.636). Em 2014, Collins obteve 216.874.

Pesam nas contas do Palácio das Princesas a redução das votações dos progressistas citados e o fato de o PP não ter feito a maior bancada. A ordem, no Campo das Princesas, é: “Dar um certo freio de arrumação”. Um governista admite, no entanto, que o PP “continua tendo um espaço grande”. Mas segue com a ponderação de que o partido não fez a maior bancada na Assembleia Legislativa.

A previsão de reajuste, inclui, cota para o PT na administração socialista. Uma corrente no PSB quer João Campos, herdeiro do ex-governador Eduardo Campos e deputado federal mais votado (460.387), integrando o primeiro escalão do Governo Paulo Câmara, o que deve acontecer.

Paulo Câmara comunicará a composição do primeiro escalão ainda em dezembro antes do Natal. Devem permanecer em seus cargos por estarem fazendo ótimo trabalho: André Campos (Casa Civil), Marcelo Barros (Fazenda) e Zé Neto (chefe de gabinete). É o chamado núcleo duro.

https://s2.glbimg.com/8cDZDr-s7KDn-ZMmItBEoD3o28g=/0x0:1040x584/984x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2017/x/z/OU3uGWSnKB1U67FVFzvQ/pedro-eurico-secretario.jpg

Diante do quadro de insalubridade e risco de fuga, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico (foto), a reforma urgente da Cadeia Pública de Itapetim, no Sertão do Pajeú, com transferência de todos os 25 presos para as unidades prisionais em condição de segurança mais próximas desta Comarca, no prazo de dez dias úteis, sob pena das medidas judiciais cabíveis.

O MPPE apurou o elevado grau de probabilidade de existir mais fugas, riscos à vida dos presos e dos policiais, dado as instalações precárias do edifício. “O problema é de longa data, inclusive, já tendo ajustes internos pagos pelos próprios policiais e populares, visando manter a cadeia pública e seus presos próximos de suas famílias, contudo, não há mais condições de manter os presos neste ambiente”, alegou a promotora de Justiça Lorena de Medeiros Santos.

“A situação calamitosa da Cadeia Pública, a qual não apresenta as mínimas condições de segurança e higiene para a detenção dos presos e para o exercício do ofício dos militares que guarnecem o estabelecimento prisional”, complementou ela.

Segundo a promotora, é dever do Poder Executivo oferecer condições condignas aos presos, conferindo-lhe o adequado tratamento e à manutenção de boas condições aos estabelecimentos prisionais e que a mera alegação de inexistência de verbas orçamentárias para a implementação das políticas públicas exigidas judicialmente, não se mostra como medida hígida a caracterizar a impossibilidade material ou jurídica. “A reforma urgente é adequada e necessária, visando que no âmbito extrajudicial seja resolvido o problema, já que está expondo os detentos não só a risco de vida, mas também a tratamento desumano e absolutamente interesse coletivo”, considerou a promotora de Justiça.

São 25 presos em três celas precárias, ocasionando superlotação. O texto da recomendação cita fissuras nas paredes e no teto das celas; ferrolhos e dobradiças das grades das celas danificados; insuficiência de cadeados; alvenaria velha com reboco extremamente fragilizado; portões e grades das janelas que demonstram sinais de vulnerabilidade, onde são notadas rachaduras nas paredes de sustentação; um corredor entre as celas e o muro da cadeia que facilita sobremaneira uma possível transposição em caso de fuga, bem como janela e grade na parte frontal interna da cadeia que pode servir de apoio e acesso ao telhado do estabelecimento e, consequentemente, à área externa; rede de esgoto com a encanação quebrada, derramando água no interior do pátio externo; presença de baratas e ratos na cozinha e no pátio de banho de sol; infiltrações, quando de precipitações pluviométricas, por todos os compartimentos; esgotos a céu aberto; buracos decorrentes da ação da chuva; telhado em péssima condição; buracos no piso; os muros externos em via de desmoronamento; as instalações elétricas e hidráulicas imprestáveis com risco de um curto-circuito.

Além dos problemas verificados na estrutura física, não há abastecimento de água suficiente para atender a demanda dos reclusos no que diz respeito à higiene pessoal e higienização das celas onde estão alojados. A promotora Lorena de Medeiros Santos lembrou também as últimas investidas de fugas e, em uma delas, com rendição de um policial militar.

Do Poder360 

O presidente nacional licenciado do PSL, Luciano Bivar, de 73 anos, deve retornar oficialmente ao comando da sigla após o 2º turno das eleições para o Palácio do Planalto. É isso que Bivar combinou com Jair Bolsonaro.

Em entrevista ao Poder360 na última sexta-feira, Bivar disse que sua volta ao comando do PSL deve ser efetivada provavelmente no início de novembro. Enquanto isso ocupa o cargo interinamente o advogado Gustavo Bebianno, 54 anos, que é do Rio de Janeiro e de total confiança de Bolsonaro.

São muito comum no Brasil políticos de expressão receberem alguma garantia do partido que escolhem para disputar uma eleição. No final de 2017, Bolsonaro já despontava como nome forte na corrida pelo Planalto. Entrou para o PSL após ter segurança total de que poderia controlar a legenda até o final da disputa de 2018. Aí Bivar fez o gesto de se licenciar e entregar o controle a Bebianno.

O ato de Bivar foi unilateral. Ele pode agora, a qualquer tempo e época, encerrar sua licença e retomar o comando do PSL. “Eu não renunciei à presidência. Eu me licenciei apenas”, explica.

Segundo Bivar, a sua volta ao comando do PSL levaria o atual presidente interino da legenda a participar em algum cargo na futura administração federal, em caso de vitória de Bolsonaro: “O Bebianno deve ser, talvez, aproveitado no governo do Jair”. O cargo sempre citado para advogado é o de ministro da Justiça.

O Partido Social Liberal foi fundado há 20 anos, em 2 de junho de 1998. Nunca teve grande expressão até ser anabolizado pela filiação de Bolsonaro. Elegeu 52 deputados federais e será a 2ª maior bancada da Câmara em 2019, apenas atrás do PT (que tem 56 cadeiras).

A 2ª colocação será efêmera. Luciano Bivar conta já ter sido procurado por 6 deputados de siglas que não cumpriram a cláusula de desempenho. Além dessa meia dúzia, outros virão imantados pela proximidade do poder. No início de 2019, o partido terá mais de 60 integrantes na Câmara: “Afirmo que a partir do dia 1º de janeiro nós seremos a maior bancada em número absoluto”.

Eleito deputado federal por Pernambuco, Bivar anuncia sua disposição de concorrer à presidência da Câmara. A disputa se dá logo depois de 1º de fevereiro de 2019, quando tomam posse as novas bancadas no Congresso. Segundo ele, como o PSL terá o maior número de cadeiras não deverá ceder o cargo aos partidos do Centrão ou outras legendas.

A decisão de Bivar pode se configurar em um problema. Os partidos que se juntaram durante as eleições no chamado Centrão (PP, DEM, PR, PRB e SD) querem o comando da Câmara. O atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é candidato à reeleição para o posto. O próprio Bolsonaro já declarou que, se eleito, considera plausível a entrega do comando da Câmara para um partido aliado.

O Poder360 perguntou a Bivar: e se Bolsonaro for eleito presidente e precisar da vaga para fechar aliança com outros partidos?

“Você não poderá convencer os partidários do PSL. Nós somos acima de tudo um partido. O Bolsonaro é nosso candidato a presidente, mas ele será o Poder Executivo […] O presidente da Câmara não é do Executivo”, argumenta.

Ele também tem opinião diferente da já expressada pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) –e pelo próprio Bolsonaro– de que a reforma da Previdência não deve ser votada neste ano de 2018.

“Não cabe ao Onyx e nem ao Jair votar ou não, porque a Presidência da República ainda é do Michel Temer. E o presidente da Câmara é o Rodrigo Maia. Se eles entenderam que assim devem fazer, eles o farão. Independentemente do presidente eleito. Eu acho que o Brasil tem pressa. Eu acho bom, disse. Para o deputado eleito, se Temer iniciar a reforma agora, fica mais fácil complementar no primeiro momento do governo eleito”.

Ou seja, para Bivar seria positivo se a atual administração federal conseguisse que o Congresso já aprovasse alguma reforma da Previdência no que restar de 2018.

Que outras reformas deverão ser tocadas logo no início de um eventual governo Bolsonaro?

“Melhorar a reforma trabalhista, fazer a reforma tributária. É imperioso isso. A tributária é fundamental porque sem uma reforma tributária você não dá efervescência à economia e a economia precisa voltar a funcionar com toda força para ter dinheiro para saúde, segurança, educação, tudo. A gente não pode pensar num governo sem ser um governo liberal, um governo socialista se acaba porque ele acha que o Estado pode servir tudo e o Estado não é 1 renovador de recursos e produção”, argumenta.

Isso tudo, naturalmente, se Bolsonaro vencer as eleições. Mas Bivar confia na grande vantagem de Bolsonaro sobre Fernando Haddad (PT) apontada pelas pesquisas –que mostra uma distância de 28 pontos entre os 2 candidatos. Ele acha que nada acontecerá para mudar esse quadro.

Luciano Bivar classifica como “desespero do PT” as acusações de uso de empresas para pagar pelo impulsionamento de mensagens pró-Bolsonaro no WhatsApp. Ele defende que o militar não participe de debates contra o candidato do PT:

“O Haddad não é conhecido em lugar nenhum. Só aí no centro, na classe intelectual. Por que botar a cara dele lá em Cabrobó, no interior de Pernambuco, em canal aberto?”.

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fala à imprensa após gravação de campanha, no bairro Jardim Botânico, Rio de Janeiro.

Um mês e meio após o ataque que sofreu o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, prepara-se para, em dezembro, ser submetido à terceira cirurgia, desde que levou uma facada, no início de setembro, durante ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. Será uma operação para restabelecer o trânsito intestinal, abrindo a incisão, na qual ele levou 35 pontos, e retirando a colostomia – uma espécie de bolsa que funciona como intestino externo.

Os detalhes da terceira cirurgia foram revelados em reportagem especial levada ao ar pela TV Record. A equipe da emissora acompanhou o exame médico, na semana passada, e conversou com especialistas. Segundo  os jornalistas , a recuperação após a operação é de uma semana a 10 dias.

Bolsonaro foi esfaqueado pelo mineiro Adélio Bispo Oliveira, que está preso em Campo Grande.

Na reportagem da Record, o candidato aparece sorrindo. “Tô me sentindo muito bem em casa e bem tratado”, afirmou o candidato, que fez duas cirurgias: a primeira, a laparoscopia, para estancar a hemorragia e a segunda, para a colostomia.

Nas redes sociais, ele comemorou hoje (22) à tarde o número de mais de 2 milhões de seguidores no Youtube.

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo

Brasília é realmente uma farra com o dinheiro público. O Ministério das Cidades abriu licitação para contratar serviços de bordo para aviões utilizados pelo ministro Alexandre Baldy (foto), e pelo próximo ministro da pasta (caso o ministério continue a existir). Estão previstos gastos de até R$ 47 mil. Os itens mais caros no edital são os jantares, oportunidades em que poderão ser oferecidas aves e carnes. Despesas com refrigerantes, gelo, frutas fatiadas, sucos, água de coco, azeite de oliva extra virgem, sanduíches e refrigerantes também estão previstas no contrato, que terá validade de um ano.

0800 da Câmara

Já a Câmara dos Deputados abriu uma licitação a fim de contratar empresa para operar a central telefônica 0800 da Casa por um ano. A novidade é que as pessoas poderão ligar para o serviço a partir de telefones celulares. Atualmente só a partir de telefones fixos. A Câmara prevê gastar até R$ 343 mil com a despesa.

http://www.tre-ce.jus.br/imagens/fotos/tre-ce-reuniao-rosa-weber/@@images/23aa3289-8d0a-45ee-9802-3411f882244e.jpeg

A Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e 27 Tribunais Regionais Eleitorais divulgaram carta nesta segunda-feira (22) em que defendem a segurança das urnas eletrônicas e do sistema de votação. O documento foi divulgado após reunião de hoje (22) entre a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, e representante dos tribunais regionais.  

Desde o primeiro turno, apoiadores ligados ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) disseminam conteúdos colocando em dúvida a lisura do processo eleitoral. O próprio presidenciável defendeu publicamente o voto impresso, declarado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal. No dia da votação do primeiro turno, vídeos circularam apontando supostas fraudes nas urnas.

Na carta, os representantes da Justiça Eleitoral afirmam a “total integridade e confiabilidade das urnas eletrônicas e do modelo brasileiro de votação e de apuração das eleições”. A urna eletrônica, continua o texto, tem oito barreiras físicas e mais de 30 barreiras digitais “que inviabilizam ataques de hackers e a invasão cibernética do voto”.

O documento acrescenta que não existe a possibilidade de um voto iniciado ser completado automaticamente pela urna. No 1º turno, circularam vídeos em que eleitores afirmavam ter tentado votar em um candidato mas a urna teria computado o voto a outro. Alguns foram desmentidos no mesmo dia e outros seguem em apuração pela Justiça Eleitoral.

Auditorias

A carta afirma que outra característica do sistema é a possibilidade de auditagem. Isso inclui a reimpressão do boletim de urna, comparação entre os totais constantes no boletim impresso e no registro eletrônico, análise dos relatórios e verificação de assinatura digital.

Segundo a nota, a Justiça Eleitoral realiza de maneira periódica testes e auditorias “que comprovam e asseguram a transparência e absoluta confiabilidade do voto eletrônico”. Além disso, segue o documento, as auditorias são realizadas em eventos públicos e são abertas a representações das candidaturas, com supervisão do Ministério Público Eleitoral (MPE) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Por fim, a carta “conclama” os cidadãos a respeitar o Estado Democrático de Direito e suas instituições, entre as quais a Justiça Eleitoral, “responsável por assegurar a legitimidade do processo eleitoral brasileiro”.

http://www.pt.org.br/wp-content/uploads/2016/05/wadih-gustavo-bezerra.jpg

Voltou a circular nas redes sociais um vídeo gravado e publicado em abril de 2018 pelo deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), que foi presidente da OAB fluminense e atua também como advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No vídeo de 1 minutos e 56 segundos na sua página no Facebook, Damous fala de maneira explícita: “Tem de fechar o Supremo Tribunal Federal”.

O deputado reclama do ministro do STF Roberto Barroso, que em julgamentos recentes foi contra as posições da defesa de Lula. O vídeo é de 13 de abril de 2018, quando os advogados lulistas tentavam novo recurso para tirar o petista da cadeia –onde cumpre pena após condenação em 2º Instância pela Lava Jato.

Aliados do candidato a presidente Jair Bolsonaro ajudam a divulgar o vídeo de Wadih Damous argumentando que quanto o deputado propôs fechar o STF a mídia não deu o destaque que agora é visto a respeito de uma declaração de Eduardo Bolsonaro – que em julho de 2018 também falou em fechar o Supremo.

A rigor, a proposta do petista é explícita e apresentada de maneira pró-ativa, pois o deputado foi à internet e detalhou sua proposta para o fechamento do Supremo.

Além de sugerir que STF seja fechado, Damous fala que outra Corte deve ser criada e que os 11 ministros não poderiam mais ter mandatos vitalícios –até a idade de 75 anos. Sugere, sem estipular prazo de duração, mandatos mais curtos.

Eis o vídeo:

Eis a íntegra da fala do deputado:

“Nós temos de redesenhar o Poder Judiciário e o papel do Supremo Tribunal Federal. Tem de fechar o Supremo Tribunal Federal. Nós temos de criar uma Corte Constitucional de guarda exclusiva da Constituição e os seus membros detentores de mandato. Nós temos de evitar que gente como [o ministro] Roberto Barroso tenha o poder de ditar os rumos do processo eleitoral, de ditar os rumos da escolha popular, de ditar os rumos da democracia brasileira. Não foi para isso que essa turma foi colocada lá. Eu tenho alertado lá na Câmara dos Deputados: ou nós enquadramos essa turma ou essa turma vai enterrar de vez a democracia brasileira”.

Wadih Damous tentou se reeleger deputado federal neste ano de 2018. Teve 31.160 votos (0,40% dos válidos) e ficou em 63º lugar, não conseguindo renovar seu mandato –o Estado do Rio de Janeiro tem 46 cadeiras na Câmara. Com informações do Poder360.

https://f.i.uol.com.br/fotografia/2017/11/06/150994153559ffe11fbd719_1509941535_3x2_md.jpg

Um dia após declaração de um de seus filhos sobre fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal) ter causado reação no Judiciário, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) se reuniu na manhã desta segunda-feira (22) com o ministro do TST (Tribunal Superior Eleitoral) Ives Gandra Martins.

De acordo com assessores do candidato, o encontro durou cerca de uma hora e foi agendado por intermédio de Carla Zambelli, eleita deputada federal pelo PSL em São Paulo.

A agenda foi fechada e o ministro do TST deixou a casa de Bolsonaro, na Barra da Tijuca, sem falar com a imprensa. O motivo do encontro não foi divulgado.

Ives Gandra já presidiu o TST, defende a reforma trabalhista e foi cotado para assumir uma vaga no STF pelo presidente Michel Temer, que acabou ocupada pelo atual ministro da corte, Alexandre de Moraes.

Ele é filho do jurista Ives Gandra Martins, que já declarou voto em Bolsonaro.

A visita ocorre um dia após um vídeo em que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável, ter ganhado repercussão.

Oficinas serão realizadas dentro da mostra de Cinema / Foto: Devyd Santos/divulgação

A partir desta segunda-feira (22), a cidade de Tabira, no Sertão pernambucano, recebe a 4ª Mostra de Cinema Poesia na Tela. A programação do festival conta com longa-metragem, 39 curtas metragens e três videoclipes, que serão exibidos em momentos de homenagens e mostras – Itinerante, Criancine, História Nossa, Poesia na Tela e Pernambucana.

Este ano, duas artistas serão homenageadas no evento: Katia Mesel, cineasta premiada que comemora 50 anos de carreira e fará uma aula especial, além da cineasta local Carmem Pedrosa que receberá uma homenagem e exibirá um documentário sobre sua trajetória. Ao longo desta semana a programação vai se dividindo. Ao todo, três oficinas serão realizadas na Escola Estadual Arnaldo Alves Cavalcante, na Casa da Cultura Dr. Ivo Mascena Véras e na Escola Estadual Pedro Pires Ferreira.

A programão da quarta-feira (24) contará com exibição de filmes na Praça Gonçalo Gomes às 18h30, com destaque para a exibição do documentário sobre Onildo Almeida. Já na quinta-feira (25) serão as atrações musicais que tomarão conta da programação na Praça Gonçalo Gomes, shows com a Orquestra Sinfônica Puxa o Fole, de Santa Terezinha-PE, e Radiola Serra Alta, de Triunfo, a partir das 21h30.

O último dia do evento, na sexta-feira (26), contará com muita diversidade cultural e uma vasta programação com mostra itinerante e oficina nas escolas e exibição do documentário “Um Certo Olhar Sobre o Real” na Câmara de Vereadores pela manhã. Já durante a tarde haverá roda de diálogo “O Cinema e a Poesia Como Representação da Memória dos Territórios”, com Isabelly Moreira. E encerrando a programação da noite na praça Gonçalo Gomes, a partir das 21h30, sessão videoclipe, sessão especial com dois filmes e atração musical com Agda Moura, de Santa Cruz do Capibaribe.

Mais de 1,1 milhão de participantes consultaram o local de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O cartão de confirmação do exame está disponível desde as 10h da manhã de hoje (22).

Os mais de 5,5 milhões de candidatos podem acessar o cartão de confirmação do exame na Página do Participante ou pelo aplicativo do Enem 2018, disponível para download na App Store e na Google Play.

O cartão de confirmação informa o número de inscrição; o local de prova, com endereço e número da sala; as datas e os horários do Enem; a opção de língua estrangeira escolhida e os atendimentos específicos e/ou especializados, e recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados. Para acessar o documento, basta informar o CPF e a senha cadastrada na inscrição. Para quem esqueceu a senha, o Inep disponibiliza um passo a passo para recuperação.

O Inep orienta os estudantes a acessarem o cartão de confirmação com antecedência e fazerem o trajeto até o local do exame antes do dia da prova, para verificar a distância, o tempo gasto e a melhor forma de chegar, evitando atrasos no dia da aplicação.

Segundo a autarquia, não é obrigatório levar o cartão de confirmação impresso no dia das provas. Para fazer o Enem é preciso levar documento oficial com foto e caneta esferográfica de tubo transparente.

Enem

Nos dias 4 e 11 de novembro, 5,5 milhões de estudantes em todo o país farão o Enem em mais de 1,7 mil municípios. No primeiro dia do exame (4/11), serão aplicadas as provas de linguagem, ciências humanas e redação. A aplicação terá 5h30 de duração. No segundo dia (11/11), haverá provas de ciências da natureza e matemática. Os estudantes terão cinco horas para resolver as questões.

O primeiro dia de prova coincide com o início do horário de verão. A aplicação do exame segue o horário de Brasília. Os portões sempre abrem às 12h e fecham às 13h. A prova começa às 13h30.