Lojas do Recife fechadas durante pandemia da Covid-19 — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

O número de demissões superou o de admissões em Pernambuco pelo sexto mês seguido em 2020, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Com 17.387 admissões e 20.651 desligamentos no estado no mês de junho deste ano, o saldo negativo foi de 3.264 postos de trabalho.

O resultado, se comparado aos meses anteriores deste ano, reflete uma diminuição no número de postos encerrados, já que, em abril e maio de 2020, foram extintos 27.051 e 7.382 empregos formais, respectivamente. Já em junho de 2019, o estado perdeu 253 postos de trabalho.

O saldo negativo de 3,2 mil vagas perdidas em Pernambuco é resultado da perda de 3.455 postos no setor de serviços e 1.041 e na área do comércio. Por outro lado, houve criação de 190 vagas na indústria, 395 no setor de construção e 647 na agropecuária.

Das 3.264 vagas extintas em Pernambuco em junho de 2020, 1.445 postos foram fechados somente no Recife, sendo 764 no setor de serviços, 744 na área do comércio, 150 no setor da indústria e 16 na agropecuária. Somente a construção civil registrou saldo positivo de 229 postos de trabalho na capital pernambucana.

De acordo com a Secretaria de Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco, a melhora dos números no mês de junho de 2020 em relação aos outros meses deste ano ainda reflete os efeitos provocados pela pandemia da Covid-19. Um dos exemplos de perdas no setor de comércio é o Polo de Confecções do Agreste.

No acumulado do ano, Pernambuco registrou 146.248 admissões e 214.144 desligamentos. A diferença entre os números gera um saldo negativo de 67.896 postos de trabalho, que foram fechados ao longo dos seis meses de 2020.