A Operação Endosso, desencadeada ontem pelo Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco), cumpriu dez mandados de prisão e nove de busca e apreensão domiciliar nesta terça-feira (30).

A Pitú em Vitória de Santo Antão foi um dos locais visitados pela equipe policial. Os mandados foram emitidos para Recife, Vitória, Cupira e Ipojuca, além de Propriá, em Sergipe. 

Segundo a delegada Polyanne Farias, o esquema envolvia o uso de notas fiscais fictícias e empresas de fachada, cerca de R$ 122 milhões teriam sido movimentados em desvios no ano de 2017 através de empresas laranjas.

A apuração, que teve início em janeiro de 2019, buscava apreender integrantes de organizações criminosas que praticassem crimes contra a ordem tributária e falsidade ideológica. Doze empresas são investigadas no total, sendo sete delas apenas de fachada. Não foi divulgado se a Pitú teria participação no esquema, nem o motivo da busca na fábrica da empresa. Maiores detalhes da operação serão divulgados hoje em uma entrevista coletiva.

A Pitú comentou, em nota, que “está, como sempre esteve, à disposição para colaborar com o poder público, prestando informações e documentos que são solicitados, não tendo sido alvo de nenhum mandado de prisão.” A engarrafadora afirmou, ainda, que “tem em sua cultura empresarial a retidão de comportamento, o respeito às leis e o compromisso de cumprir todas”.