O Salgueiro tem, pela terceira vez, a chance de quebrar uma hegemonia histórica no futebol pernambucano: o domínio absoluto da capital em termos de títulos do certame local. Derrotado pelo Santa Cruz em 2015 e pelo Sport em 2017, o Carcará disputa a partir de hoje a decisão do Estadual 2020, outra vez contra o tricolor.

Vice-campeões em 2015 e 2017, os salgueirenses vão tentar levantar o troféu desta vez. Se isso ocorrer, será a primeira vez no futebol local que o troféu irá para um time do interior. Façanha que o Central também não conseguiu em 2018, quando perdeu a decisão para o Náutico. Nos anos de 1990, o Porto, de Caruaru, também foi duas vezes vice-campeão. No entanto, o Pernambuco tinha o formato de pontos corridos e turnos, então o Gavião do Agreste não chegou a disputar a decisão com o Leão da Ilha.

Fora Sport, Náutico e Santa Cruz, outras quatro equipes já conquistaram o Estadual. Todas da capital. Três delas estão extintas, Flamengo, Torre e Tramways, além do tradicional América. O alviverde, aliás, foi o último a desbancar o trio de ferro da capital. O América faturou o troféu em 1944. Foi a última taça do clube, que também ganhou o certame em 1918, 1919, 1921, 1922 e 1927.

Já o Torre foi forte no final dos anos de 1920 e começo da década de 1930. A equipe, que não existe mais, ganhou em 1926, 1929 e 1930. Já o Tramways, que era ligado aos ingleses que trabalhavam no Recife, obteve o bicampeonato em 1936 e 1937.  Por sua vez, o Flamengo do Recife foi o primeiro campeão pernambucano, em 1915.

Todos os outros anos foram dominados pelo trio de ferro. O Sport, maior campeão, tem 42 taças. O Santa Cruz tem 29 (pode conquistar 0 30º título se bater o Salgueiro), enquanto o Náutico tem 22.  O último título dos corais foi em 2016.