Igreja católica no Centro de Tracunhaém, na Zona da Mata Norte de Pernambuco  — Foto: Reprodução/Google Street View

Com o avanço de casos da Covid-19, municípios da Zona da Mata Norte de Pernambuco, como Tracunhaém, Carpina e Buenos Aires, impuseram regras mais severas para coibir aglomerações e evitar a propagação da doença. A decisão foi anunciada ontem pelas prefeituras das cidades, que juntas somam cerca de 115 mil habitantes. Entre as medidas, está a suspensão das aulas nas escolas, além de restrições para bares e restaurantes, assim como a limitação da operação de igrejas.

Em Tracunhaém, que fica a 50 km do Recife, a decisão veio por força de decreto, estipulando que as atividades esportivas em áreas públicas também estão vetadas. De acordo com a gestão, os estabelecimentos que comercializam produtos alimentícios só podem operar até às 19h, situação que também deve se estender aos serviços de delivery. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a cidade totalizou, até o momento, 85 casos e 21 mortes. Apenas nos últimos dez dias, foram registradas 26 novas confirmações.

O cenário preocupante se repete em Carpina, onde as salas de aula têm previsão de permanecer vazias pelos próximos 90 dias. Por lá, os bares, lanchonetes e restaurantes podem seguir de portas abertas apenas até as 20h. No entanto, aos fins de semana, este horário deve ser reduzido para as 18h. A regra avança ao Centro, com lojas de confecções, calçados e demais segmentos também encerrando a operação neste horário. Conforme a normativa publicada, as mudanças também atingem as feiras livres e mercados públicos, proibindo a tradicional instalação de bancas às margens da Rodovia PE-90.

No mesmo caminho, as tradicionais festividades católicas, em homenagem ao padroeiro da cidade, São José, também entraram na lista de vetos. Programada para iniciar no próximo dia 10 de março, a solenidade não deve ocorrer, incluindo também as homenagens que seriam feitas em residências. Nas igrejas, para os atos comuns, deve prevalecer o limite de 30% da capacidade, cumprindo o distanciamento de 1,5 metro e a disponibilização de álcool para os fiéis. Segundo a pasta da Saúde, foram confirmados, até então, 1.483 casos do novo coronavírus.

Passando para Buenos Aires, a Procuradoria Municipal também já estuda a suspensão das aulas nas redes pública e privada. Com o balanço de 86 casos do novo coronavírus e 12 mortes, a população se mostra assustada com o avanço da pandemia, tentando seguir mais a sério as recomendações. Na cidade, também está restrita a capacidade do público em igrejas, a operação de estabelecimentos comerciais e o fluxo de pessoas nas tradicionais feiras de artesanato, roupas e gastronomia.