O sentimento de gratidão permeou o discurso de todos os desembargadores que participaram da abertura oficial da última edição dos Encontros Regionais do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE): Gestão Participativa – Biênio 2020/2022, na sexta-feira (16). O evento contemplou magistrados, assessores e chefes de secretária da Comarca do Recife – Turma 2, encerrando um ciclo da capacitação virtual em sete polos do Estado, que conseguiu reunir cerca de 1500 servidores de todas as unidades judiciárias, durante o período de pandemia da Covid-19.

O presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, parabenizou a todos os envolvidos na realização do evento, bem como destacou o serviço de excelência prestado pela Corregedoria Geral da Justiça, Escola Judicial de Pernambuco (Esmape) e Ouvidoria Geral da Justiça a fim de promoverem todos os encontros.  “Destaco também que todas as contribuições aqui trazidas estão sendo consideradas, anotadas, estudadas e vamos tentar implementá-las, dentro do que for possível, na nossa gestão”, considerou o desembargador.

Após a abertura oficial do encontro, os participantes foram divididos em grupos de trabalho, sob a coordenação de juízes assessores da Presidência e da Corregedoria Geral do TJPE, para debaterem sobre as principais dificuldades encontradas nas unidades judiciárias, além de apresentarem sugestões para solucionar os problemas da Comarca do Recife. No período da tarde, houve a plenária final para apresentação das propostas levantadas nos grupos de trabalho e o encerramento do evento.

Este ano, com o objetivo de aperfeiçoar as práticas de gestão desenvolvidas pelo Judiciário estadual, os Encontros Regionais do TJPE foram realizados ainda de forma presencial na Comarca de Petrolina, em março. Porém, com o avanço da pandemia da Covid-19, a capacitação precisou ser adaptada para o formato virtual, sendo retomada no final de agosto no Polo de Garanhuns. Na sequência, conseguiu atingir magistrados e servidores dos Polos de Serra Talhada, Caruaru, Zona da Mata Norte e Sul, Região Metropolitana e Recife.

Diante de todas as dificuldades que houve nesse período, o diretor da Esmape, desembargador Adalberto Oliveira, destacou o impacto da pandemia na vida de todos, sem exceção, que precisaram fazer concessões e mudanças drásticas, inclusive na hora de dar um simples aperto de mão ou infelizmente, até mesmo na hora de dizer adeus aos que faleceram em decorrência do vírus. “Com tudo isso, contamos aqui com profissionais que contribuíram de forma brilhante nesse período e hoje, a 4ª Corte mais antiga do Brasil tem demonstrado avanços rumo a um futuro promissor, pois estamos motivados e unidos em busca de melhores caminhos para o Judiciário”, concluiu o desembargador.