Por Carlos Moura Gomes*

Não é nenhuma novidade que um responsável e bem elaborado planejamento sobre desenvolvimento urbano, está diretamente vinculado ao progresso de quaisquer territórios. Logo, o gestor que consegue enxergar o futuro com olhos de lince, certamente não encontrará dificuldades para vencer os presumíveis obstáculos.

Infelizmente, por vários anos consecutivos, a Defesa Civil de Santa Catarina informa, novamente, que as chuvas já atingem violentamente 20 importantes cidades daquele estado capixaba com o Rio Itajaí-Açu inundando ruas e casas. Essa angustiante situação, que poderia ser evitada, já acontece desde a última quarta-feira, dia 10.01, deixando várias famílias desabrigadas, 1.400 pessoas somente na capital, Florianópolis. O IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, diz que entre os anos de 2008 e 2012, quase 2 milhões de seres humanos foram prejudicados pelas enchentes em todo o Brasil.

O Nordeste brasileiro, também sofreu com as enchentes de 2010 e 2011, onde vários rios transbordaram, invadindo 67 cidades de Pernambuco. A Secretaria Nacional de Defesa Civil identificou 37 vítimas fatais, 53 mil desalojados e mais de 2 mil quilômetros de estradas completamente danificadas.

Lamentavelmente, todas essas regiões foram visitadas por autoridades que repetem as mesmas mentiras, evidenciando claramente a falta de compromisso e vontade política.

Uma competente e corajosa arquiteta, registrou em sua monografia de doutorado que “... no Brasil há soluções técnicas viáveis mesmo se considerarmos essa herança histórica de ocupação informal do solo. Mas não há solução enquanto a máquina de fazer enchentes não for desligada”.

*Carlos Moura Gomes (Foto), é escritor e reside em Gravatá (PE).