Economia

Reprodução/Internet

Na semana que antecede o Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (09), o Procon Recife divulgou uma pesquisa de preços de produtos voltados para a data. Os pesquisadores da unidade de educação do órgão visitaram, entre os dias 13 e 20 de abril, um total de 23 estabelecimentos no Recife, sendo 15 lojas físicas e oito virtuais, com o objetivo de promover a melhor referência de preços ao consumidor.

Foram pesquisados eletroeletrônicos (uso doméstico e pessoal), perfumaria e floricultura, com um total de 170 itens, como celular e tablet (sem vínculo com operadoras de telefonia móvel), secador de cabelo, escova secadora, cafeteira expresso, fritadeira, perfume de diversas marcas, flores de alguns tipos e arranjos.

As variações de preços encontradas pela fiscalização referem-se aos dias em que foi realizada a pesquisa, e por essa razão é importante que o consumidor esteja atento às possíveis mudanças nos preços dos produtos listados, inclusive por ocasião de descontos e promoções.

Na pesquisa de preços dos eletroeletrônicos (uso doméstico e pessoal), o Procon Recife encontrou uma considerável variação. Na pesquisa de preços referente à categoria prancha de cabelo, foi encontrado o maior percentual da pesquisa, 401,23%, no modelo prancha cerâmica EB06, da marca Multilaser, custando R$ 199,99 em um estabelecimento, e R$ 39,90 em outro. Continue lendo

Nascidos em maio receberão o saque a partir desta quinta-feira (6)

A Caixa Econômica Federal libera nesta quarta-feira (05) o saque em dinheiro do auxílio emergencial para 2,38 milhões de beneficiários nascidos em abril. Ao todo, foram creditados R$ 492,87 milhões para esse público em 13 de abril.

De lá para cá, o valor só pôde ser movimentado pelo Caixa Tem, aplicativo no qual os beneficiários conseguem pagar boletos, comprar pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.

Desde a última sexta-feira (30), o público geral que recebe o auxílio também já pode movimentar o dinheiro usando o Pix, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central. A única exceção às transações se dá para os casos de transferência para conta de mesma titularidade.

Conforme o Ministério da Cidadania, o modelo de escalonamento das transferências e saques, adotado no ano passado durante a primeira rodada do auxílio emergencial, segue com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa e nas lotéricas.

A nova rodada do auxílio emergencial terá quatro parcelas, de abril a julho, com valor médio de R$ 250. Mulheres chefes de família receberão R$ 375 e pessoas que vivem sozinhas, R$ 150. A estimativa é de que as quatro cotas cheguem a cerca de 40 milhões de famílias.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM

O Estado de Pernambuco vai começar a pagar pela conta de água do projeto da Transposição do São Francisco em outubro. E, no primeiro momento, isso poderia representar um acréscimo de 0,8% na conta de água dos pernambucanos, segundo simulações feitas pela Secretaria Estadual de Infraestrutura. “Isso não será repassado aos consumidores no ano de 2021, porque está sendo um período muito difícil. É inoportuno”, disse a secretaria estadual de Infraestrutura, Fernandha Batista.

O aumento na conta de água é autorizado, uma vez por ano, pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) baseado nas informações de despesas e investimentos apresentados pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). O último reajuste ocorreu em janeiro deste ano. Atualmente, cerca de 400 mil pernambucanos do semiárido usam a água deste projeto. Até o final deste ano, serão 800 mil usuários. 

A cobrança pelo custo de operação do projeto da transposição vai aumentar, gradativamente, nos próximos cinco anos. Pelo contrato firmado entre o governo federal e o governo estadual, somente 5% do custo total do projeto será cobrado aos Estados beneficiados em 2021, o primeiro ano de operação comercial do mesmo. No segundo ano (2022), serão cobrados 15%, indo para 35% no terceiro ano; 65% no quarto ano e 100% no quinto ano, em 2025. A preços de hoje, quando o Estado estiver pagando 100% desse custo isso poderia trazer um aumento de 3,5% na conta de todos os clientes da Compesa ou de 16% caso fosse cobrado somente dos consumidores do semiárido, segundo simulações da Seinfra.

“A nossa ideia é dividir esse custo por todos os consumidores da Compesa. Mas não estamos levando em conta esses percentuais, porque vamos pedir uma revisão desses custos no quarto ano da operação do projeto”, conta Fernandha, acrescentando que isso vai ser colocado no contrato que será assinado entre os representantes do Estado e do governo federal.  Continue lendo

ACERVO JC IMAGEM

A cesta básica comercializada na Região Metropolitana do Recife (RMR) ficou 2,11% mais cara neste mês de maio. A pesquisa, realizada pelo Procon-PE, demonstrou que a cesta passou de R$ 525,09, em abril, para R$ 536,15 em maio, representando 48,74% do valor do salário mínimo. o Procon também foram realizou a pesquisa nos municípios de Goiana, Caruaru e Vitória de Santo Antão. Os fiscais encontraram a cesta básica mais barata em Vitória de Santo Antão, custando R$ 487,64.

Dos 27 produtos pesquisados regularmente, 15 subiram de valor. Os alimentos que mais subiram de preço, segundo o Procon-PE  foram: o fubá, cujo pacote de 500 gramas passou de R$ 0,99 para R$ 1,15, um aumento de 16,16%; e o quilo da carne de charque de segunda, que subiu 9,70%, passando de R$ 29,99 para R$ 32,90. O alimento que mais caiu de preço foi o quilo da batata inglesa. O valor em abril era de R$ 3,59, agora pode ser comprado por R$ 2,99, uma queda de 20,07%. Mas o campeão de aumento está na lista dos materiais de limpeza. A lã de aço, subiu 36,21%, passando de R$ 0,58 para R$ 0,79.

Diferença de preço

Para fazer as pesquisas, o Procon Pernambuco visitou 22 estabelecimentos, da RMR, dois deles dentro do Ceasa; sete em Goiana; nove em Vitória e 12 em Caruaru. A análise dos preços é feita em 27 itens, entre alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal. Continue lendo

Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC

Frito, cozido, mexido, processado e usado em milhares de receitas. O brasileiro nunca comeu tanto ovo. Com o aumento desenfreado do preço da carne, a queda de poder de compra da população, e a mudança de hábito trazida pela pandemia, com mais gente se alimentando em casa, o ovo está longe de ser um coadjuvante na mesa da população. No ano de 2020, cada brasileiro comeu 251 ovos. É um volume recorde. Há 20 anos, o consumo anual de cada cidadão era de 94 unidades. Dez anos atrás, esse número subiu para 148 ovos.

Hoje, o brasileiro come mais ovos que a média do cidadão mundial, que é de 230 ovos por ano. O alimento, que até poucos anos atrás figurava entre os vilões da saúde, condenado pelo teor de colesterol, migrou para as páginas da alimentação saudável. A indústria e as galinhas fizeram sua parte, com nada menos que 1.500 ovos por segundo produzidos no Brasil. As chamadas “poedeiras”, como são conhecidas as galinhas nas granjas, entregaram 53 bilhões de ovos em 2020. Neste ano, a produção deve chegar a 56 bilhões de unidades.

Com o volume recorde de consumo e alta de preços nas gôndolas do supermercado, tudo indicaria que a vida do produtor nacional de ovos já está ganha. Mas a coisa não é bem assim. Ironicamente, a indústria de ovos vive, atualmente, entre a cruz e a espada, devido ao preço do milho e do farelo de soja, a ração dos animais, insumo que responde por mais de 81% do custo de produção da proteína. Continue lendo

Astrazeneca tem lucro de US$ 1,56 bi no 1º trimestre. Na foto, fachada da sede do grupo em Macclesfield, na Inglaterra Foto: Phil Noble / REUTERS

O grupo farmacêutico anglo-sueco AstraZeneca anunciou nesta sexta-feira que dobrou o lucro líquido em ritmo anual no primeiro trimestre de 2021 e revelou que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US$ 275 milhões.

A empresa voltou a defender sua vacina, apesar dos atrasos e das dúvidas provocadas pelo fármaco.

O laboratório, que revela pela primeira vez seu faturamento pela vacina, registrou lucro líquido de US$ 1,56 bilhão nos primeiros três meses do ano, comparado com US$ 780 milhões em igual período do ano passado, segundo um comunicado.

Mas as vendas da vacina representaram apenas 4% de seu volume de negócios, que aumentou 15%, a US$ 7,3 bilhões.

A AstraZeneca não explicou se os US$ 275 milhões correspondem apenas ao primeiro trimestre ou se representam o valor total de vendas desde o lançamento de sua vacina.

Desenvolvida em colaboração com cientistas da Universidade de Oxford, a vacina do grupo é uma das mais baratas do mercado. A AstraZeneca se comprometeu a vendê-la a preço de custo, por isto não registra lucro ou perdas. Continue lendo

Consumidores brasileiros irão gastar mais com as contas de luz em maio. Nesta sexta-feira (30), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu adotar a bandeira tarifária na cor vermelha no patamar 1.

Com a medida, será gerado um custo extra de R$ 4,169 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Ao alterar a bandeira, a Aneel informou que “em maio, inicia-se o período seco, com os principais reservatórios apresentando estoques reduzidos para essa época do ano. Essa conjuntura sinaliza patamar desfavorável de produção pelas hidrelétricas e elevada necessidade de acionamento do parque termelétrico, pressionando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) e o preço da energia no mercado de curto de prazo (PLD)”.

A agência apontou que “a conciliação desses indicadores levou ao acionamento do patamar 1 da Bandeira Vermelha. O PLD e o GSF são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada”.

Por fim, a Aneel ressaltou que é “importante reforçar ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia”.

Posto de gasolina em Caracas

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (30) que vai reduzir o preço médio da venda do diesel e da gasolina nas refinarias no sábado (1º). O valor do diesel para as distribuidoras passará a ser de R$ 2,71 por litro, após redução 2,17% ou de R$ 0,06 por litro. Já o preço médio de venda da gasolina passará para R$ 2,59 por litro, após redução de 1,89% ou de R$ 0,05 por litro.

Segundo a companhia, os preços de diesel e gasolina praticados pela Petrobras buscam equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo.

É bom lembrar que esta sexta-feira (30) é o último dia com isenção de PIS/Cofins para os caminhoneiros, uma medida adotada há dois meses para tentar ajudar a categoria em meio à crise econômica.

Segundo a Petrobras, desde 31 de dezembro de 2019 e considerando os reajustes que vigorarão a partir de amanhã, os preços médios de diesel nas refinarias da Petrobras para as distribuidoras subiram 16,1%, enquanto os de gasolina tiveram alta de 34,8%.

Desde o último reajuste, em 15 de abril, quando a Petrobras anunciou aumento dos combustíveis, o dólar — que é um dos componentes que justificam o sobe-e-desce dos preços —, recuou 4,6% até ontem. Levando em consideração atual (por volta das 11h25), a queda foi de 3,5%. Já o petróleo recuou 0,45% no mesmo período.

Com o terceiro metro quadrado mais caro para locação de imóveis do Brasil, o Recife acumulou uma das maiores altas do país no valor dos aluguéis nos últimos doze meses. De acordo com o Índice FipeZap, o aumento de 5,38% acumulado entre  março de 2020 e 2021 foi a maior elevação de preço médio de locação de imóveis residenciais entre as 11 capitais avaliadas. E mais alta pode vir. O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que baliza maior parte dos contratos, avança, segundo divulgou ontem a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

A pesquisa da Fipe, com base nos anúncios de imóveis na internet, apontou que quem deseja morar na capital pernambucana precisa desembolsar, em média, R$ 32,49 pelo metro quadrado. O valor só não é maior do que em São Paulo e Brasília, que possuem custo de R$ 39,71 e R$ 32,59, respectivamente. Por sua vez, o reajuste acumulado do Recife ficou bem acima da maior das capitais. Brasília registrou 2,75% no período e Fortaleza, 0,87%, no mesmo período.

Apesar de elevada, a alta no preço do aluguel na capital pernambucana segue abaixo da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA),  de 6,10% nos últimos 12 meses. O número também é inferior ao registrado pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) no mesmo período, 31,10%.

Mas o alerta de alta continua. O acumulado do IGP-M em 12 meses pulou, conforme dados da FGV, para 32,02% em abril, o que deve se refletir nas negociações de aluguel. A FGV percebeu uma desaceleração no ritmo do IGP-M. Ele saiu de 2,94% em março para 1,51% em abril. Continue lendo

Em abril, 10 milhões de beneficiários do Bolsa Família foram contemplados

A Caixa deposita nesta sexta-feira (30) a primeira parcela do novo auxílio emergencial aos beneficiários do Bolsa Família com Número de Identificação Social (NIS) final zero. É o último grupo a receber o pagamento desse primeiro lote do novo auxílio.

Os recursos já podem ser sacados ou movimentados pelo aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos, compras pela internet e em estabelecimentos comerciais.

Os pagamentos seguem o calendário regular do programa assistencial, que é realizado nos dez últimos dias úteis de cada mês, de forma escalonada, de acordo com final do NIS.

O processamento da base de dados para o público de beneficiários do Bolsa Família foi concluído e pode ser consultado para saber quem vai receber pelo site do Ministério da Cidadania.

De acordo com pasta do governo federal, que é órgão responsável pelo pagamento assistencial, o valor da folha de pagamento do auxílio emergencial para o Bolsa Família em abril é de R$ 2,98 bilhões, sendo mais de 10 milhões de cidadãos contemplados.

Desse total, a maior parte dos beneficiários é composta por mulheres chefes de famílias (5 milhões), que receberão R$ 375 em cada uma das novas parcelas do programa. Continue lendo

O comércio do Recife pode abrir pela primeira vez no Dia do Trabalhador, comemorado no próximo sábado, 1º de maio. Avaliada como uma maneira de reduzir os prejuízos provocados pela pandemia, a possibilidade consta na Convenção Coletiva do setor e vinha sendo negociada pelas instituições empresariais junto ao poder público. A abertura dos estabelecimentos é facultativa, no entanto.

“Estamos vivendo momentos difíceis e precisamos nos adaptar. O comércio vem sofrendo muitas perdas devido à pandemia da Covid-19 e toda oportunidade de venda é bem-vinda. Esperamos que a abertura das lojas nesse feriado possa gerar bons negócios e o aquecimento da economia”, afirma o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL), Fred Leal.

Os estabelecimentos que optarem pela abertura terão de seguir as regras determinadas pelo Novo Plano de Convivência com a Covid-19, do governo de Pernambuco. O chamado comércio de rua, tanto na região central da cidade quanto em outros bairros, a exemplo de Boa Viagem e Encruzilhada, poderão funcionar por oito horas consecutivas. Por ser feriado, o comércio poderá abrir em dois horários, das 9h às 17h ou das 10h às 18h.

Esta mesma escala vale para os sábados e domingos, desde a última segunda-feira e se estende até o dia 9 de maio, Dia das Mães. Esta é historicamente a segunda melhor data para vendas no comércio brasileiro. Por conta disso, as entidades empresariais ligadas ao comércio pedem ao governo do estado um aumento no intervalo de funcionamento no sábado e domingo, 8 e 9 de maio, para evitar aglomerações. A reivindicação é que seja permitida a abertura por mais de oito horas, respeitando-se as medidas sanitárias.

No Dia do Trabalhador, a maioria dos shoppings da Região Metropolitana do Recife vão funcionar. O horário será das 10h às 18h para as unidades da capital pernambucana que vão abrir – Plaza, Recife, RioMar e Tacaruna – e as de Igarassu, Paulista, Jaboatão dos Guararapes Camaragibe e Cabo de Santo Agostinho.

Arroz e feijão

Cozinhar para fazer para a família o prato mais tradicional da mesa dos brasileiros –arroz, feijão, carne, ovo, batata frita e salada– está, em média, 23% mais caro que há um ano. 

É o que aponta levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas (FGV), que calculou qual foi o aumento dos dez principais alimentos que compõem o “prato feito” brasileiro em 12 meses. A conta considera as variações até março de 2021 capturadas pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) calculado pela FGV. 

Os principais responsáveis pelo aumento forte são, também, os principais ingredientes: o arroz, que subiu 61%, e o feijão, que subiu 69%, no caso do feijão preto. O feijão carioca, por sua vez, subiu 20%. 

As carnes também não estão ajudando muito: a alta nos preços das carnes bovinas foi de 27,2% e do frango, de 13,9%. O ovo está 10% mais caro que há um ano. A batata subiu 19% e a cebola, 40%. O único alívio vem tomate, que está em queda de 24%. 

Muitos alimentos marcam, desde o ano passado, altas e preços recordes nas prateleiras dos supermercados. O resultado é que o custo de comprar comida para a casa está subindo bem mais que a inflação total: o IPC geral teve alta de 6,1% nos 12 meses até março.  Continue lendo

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (27) que pagará o auxílio emergencial 2021 para 206.126 novos beneficiários que tiveram seus cadastros aprovados.

Os depósitos do benefício para os novos aprovados começam a ser feitos no Caixa Tem em 16 de maio, no caso dos nascidos em janeiro, e vão até 16 de junho, para os aniversariantes de dezembro. Neste período, serão depositadas duas parcelas para o público do novo lote. Os depósitos são feitos primeiro no Caixa Tem, para pagamento de contas e para fazer compras.

Os saques e as transferências bancárias para esse público serão liberados de 8 de junho a 8 de julho, de acordo com o mês de aniversário. As datas são as mesmas do calendário de pagamentos da segunda parcela para beneficiários que já estão recebendo o auxílio desde o início das liberações.

A partir da terceira parcela, todos seguem o calendário normal de repasses.

Os novos aprovados já podem consultar os pagamentos por meio da central telefônica 111 ou pelo site: auxilio.caixa.gov.br. No campo “Acompanhe seu benefício”, é possível verificar a situação do pedido e se o pagamento foi liberado. Para fazer a consulta, é preciso informar nome completo, CPF, data de nascimento e nome da mãe. A Caixa informa que não é necessário o cidadão se dirigir às agências do banco para tirar dúvidas. Continue lendo

Considerada a mulher mais rica da África, Isabel dos Santos é acusada pelo governo de Angola de causar um prejuízo de 5 bilhões de dólares (R$ 27 bilhões) para a economia do país, conforme informou a Bloomberg.

Isabel é filha de o ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, que governou o país por 38 anos e deixou o cargo em 2017. Na época, Isabel era presidente da petroleira estatal Sonangol, mas foi demitida. Dois anos depois, seus bens foram congelados pela Justiça.

A filha do ex-presidente angolano não consegue pagar as dívidas de suas empresas porque precisa de autorização judicial para efetuar qualquer transferência em dinheiro.

O governo do país acredita que Isabel tenha feito transações ilícitas com empresas estatais enquanto era presidente da Sonangol. Um relatório do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos apontou evidências de que ela lucrou após acordos com o Estado de Angola.

Antes do congelamento, os bens de Isabel valiam cerca de 2,4 bilhões de dólares (R$ 13 bilhões). Em uma entrevista concedida em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde reside, ela disse que “a quantidade de destruição de valor [de sua fortuna], que está acontecendo agora, é de centenas e centenas de milhões de dólares”.

Isabel nega as acusações e ainda não foi julgada.

O governo de Angola disse por meio de nota à Bloomberg, que usará meios judiciais e diplomáticos para garantir o repatriamento de bens retirados do país.

A Justiça do Trabalho localizou R$ 3 bilhões esquecidos em contas de empresas e trabalhadores, na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil. Os dados são do Projeto Garimpo, da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho.

O Projeto garimpo teve início em fevereiro de 2019, com o objetivo de regulamentar o tratamento dado a depósitos abandonados em processos.

Em fevereiro do ano passado, R$ 2 bilhões tinham sido rastreados, segundo o último levantamento feito pelas corregedorias dos 24 tribunais regionais do Trabalho (TRTs).

Do valor total, R$ 268 milhões estão disponíveis a quem tem direito.

– O dinheiro está parado em contas de depósitos recursais. Para questionar uma decisão na Justiça do Trabalho, a empresa precisa deixar uma garantia em contas judiciais. A quantia localizada trata-se, em sua ampla maioria, de resíduos em contas em razão de correções monetárias após a fase de execução, quando se chega ao cumprimento da sentença. Finalizados, os processos já se encontram em arquivo, reportou a Folha.

O ministro Aloysio Corrêa da Veiga, corregedor-geral da Justiça do Trabalho, destacou a importância de encontrar os donos dos recursos, em meio à pandemia da Covid-19.

– Em um momento de crise, é caixa que estaria abandonado. Isso pode ter uma repercussão econômica de destaque nesse momento de crise absurda. Muitas vezes são valores significativos para as empresas. É um valor importante. Tudo isso em contas judiciais de empresas e trabalhadores, mas de trabalhadores em número menor, que foi esquecido nas contas mesmo, falou.

Os donos da verba ainda precisam ser encontrados. As informações são da folha de S.Paulo.