Segundo o cacique da tribo Truká, em Cabrobó, a igreja Assembleia de Deus não tinha autorização para construir o templo no local.   — Foto: Arquivo

Os Indígenas do povo Truká derrubaram a estrutura de uma igreja evangélica que estava sendo construída na aldeia deles na ilha de Assunção, em Cabrobó, no Sertão de Pernambuco. O caso aconteceu no último dia 24 de abril e as imagens viralizaram na internet. Segundo o cacique Bertinho, a igreja Assembleia de Deus não tinha autorização para fazer a construção no local.

“Em nenhum momento eles procuraram a liderança. Eles estavam intervindo na nossa cultura, na nossa ancestralidade e não quiseram conversa”, destaca o líder da tribo.

Um presbítero e três diáconos indígenas já ministravam cultos evangélicos na aldeia. A professora Maiza Truká conta que nos encontros os evangélicos costumavam zombar dos costumes e crenças indígenas. “Nós respeitamos todas as religiões. O que nós pregamos é o respeito as nossas crenças, tradições e ao nosso território”, diz.

Cerca de 100 indígenas dos 6 mil que fazem parte do povo Truká, não seguem as crenças tradicionais da aldeia e costumam participar de cultos evangélicos. O cacique Bertinho explica que os indígenas têm liberdade para seguir qualquer religião, mas que não vai permitir a construção de um templo evangélico no território.

“É inaceitável que uma crença sobreponha a outra. Temos que pregar a paz acima de tudo”, ressalta o cacique.

Em nota, o pastor Jabson Avelino, da igreja evangélica Assembleia de Deus, informou que a estrutura construída com recursos próprios na aldeia, era um espaço para a realização de cultos coordenados pelos índios evangélicos, já que os encontros estavam sendo feitos embaixo de árvores.

A nota também explica que não houve a intenção de prejudicar e nem propagar intolerância religiosa. O pastor pediu desculpas aos indígenas.