Educação

Os interessados em disputar uma vaga no ensino superior pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) devem ficar atentos! O período de inscrições para o Sisu do segundo semestre deste ano terá início na próxima terça-feira (07), e será encerrado na sexta-feira (10).

Os candidatos só terão esse período para escolher as vagas e se inscrever no Sisu, por isso, é bom se preparar para não ter problemas no ato da inscrição, quando é exigida a senha do cadastro no portal de serviços do Governo Federal. Quem ainda não se cadastrou ou esqueceu a senha e precisa recuperá-la, deve providenciar esses dados com antecedência no acesso.gov.br

O Sisu do segundo semestre de 2020 disponibilizará 51.924 vagas em 1.542 cursos, oferecidos em 57 instituições públicas de educação superior. A inscrição, na semana que vem, deverá ser feita na página do Sisu, em que o candidato já pode consultar a oferta das vagas por curso, instituição e município. As informações são da Assessoria de Comunicação Social do MEC.

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) obteve o segundo melhor desempenho do Enem 2019 em todo o Brasil, entre as escolas públicas. Considerando colégios públicos e privados, a unidade de ensino é a 14ª colocada nacionalmente. 

A nota mais alta da rede pública foi do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, que obteve média 687,24. O Aplicação da UFPE ficou com 684,55. No Estado, a escola é que teve a melhor nota entre públicas e privadas.

Em Pernambuco, o campus do IFPE em Afogados da Ingazeira, com média de 575,47 ficou com a posição 1.728º em todo País.

Na rede particular, a escola pernambucana com maior nota foi o Colégio Cognitivo, com 668,24. Nacionalmente, está na 43º posição.

Nesse levantamento realizado pela Folha de S.Paulo, a tabulação excluiu colégios com menos de dez participantes no exame e/ou aquelas em que menos de 50% do total de estudantes fez a prova. O jornal informa que a metodologia segue o mesmo critério que o MEC usava em anos anteriores.

FILTROS 

Vale ressaltar que os microdados do Inep permitem a colocação de vários filtros, com recortes diferentes, levando em consideração, por exemplo, o tamanho das turmas (a partir da quantidade de alunos de cada escola que participou das provas do Enem) ou o perfil socioeconômico.

As 10 escolas públicas de Pernambuco com maiores médias nas provas objetivas – Enem 2019

1º Colégio de Aplicação da UFPE

Média: 684,55
Posição no País: 14º

2º Escola de Aplicação do Recife

Média: 650,31
Posição no País: 99º

3º Colégio Militar do Recife

Média: 618,36
Posição no País: 527º

4º Anexo 1 do Colégio da Polícia Militar de Petrolina

Média: 613,92
Posição no País: 618

5º IFPE Campus Recife

Média: 608,51
Posição no País:752º

6º Escola de Aplicação Professora Ivonita Alves Guerra

Média: 582,36
Posição no País: 1.509º

7º Escola Técnica Estadual Cícero Dias

Média: 581,91
Posição no País: 1.523º

8º IFPE Campus Garanhuns

Média: 577,18
Posição no País: 1.671º

9º IF Sertão-PE Campus Petrolina

Média: 576,27
Posição no País: 1.703

10º IFPE Campus Afogados da Ingazeira

Média: 575,47
Posição no País: 1.728º Continue lendo

A consulta de vagas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já está disponível. Os dados podem ser acompanhados pelo site do Sisu. Os estudantes têm acesso às instituições, aos locais e aos cursos que serão oferecidos.

As inscrições do Sisu iniciarão dia 7 de julho e vão até 10 de julho. Durante esse período, uma vez por dia, o Sisu irá calcular a nota de corte, que é a menor nota para o candidato ficar entre os potencialmente selecionados.

As notas de corte para cada curso são baseadas no número de vagas disponíveis e no total de candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência.

A nota de corte é apenas uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento de sua inscrição e não garante a seleção para a vaga ofertada.
O sistema não faz o cálculo em tempo real. A atualização da nota de corte será realizada sempre à meia-noite e ela é modificada de acordo com a nota dos inscritos.

Além disso, no site e no aplicativo, o estudante pode acompanhar sua inscrição. As plataformas permitem acesso às classificações parciais, ao resultado final e à lista de aprovados.

Sisu

O Sisu é o sistema informatizado do MEC no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Enem.
Para conferir as vagas, clique aqui.

LEO MOTTA/ACERVO JC IMAGEM

As escolas particulares de Pernambuco – são cerca de 2.400, com 400 mil alunos matriculados e 20 mil docentes – planejam entregar ao governo, até a próxima sexta-feira (03), uma proposta de calendário de retomada das aulas específico para a rede privada. Esse segmento educacional do Estado tinha a expectativa de que o governo liberasse as aulas presenciais a partir de meados de julho, mas nesta terça-feira (30) o governo anunciou que o decreto que suspende as aulas presenciais terá validade até 31 de julho.

“Não é uma atitude de exclusão ou de confronto. Mas a maioria das escolas privadas está em fase de conclusão das adequações necessárias para o retorno das aulas, seguindo todos os cuidados de segurança. Vamos apresentar uma proposta com cronograma e com sugestão das etapas que devem voltar primeiro”, afirma o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Pernambuco (Sinepe), José Ricardo Diniz.

A entidade defende que os extremos da educação básica retornem primeiramente: alunos do 3º ano do ensino médio e da educação infantil. “A razão da série final do médio é por conta do Enem e dos vestibulares. Para a educação infantil, há dois fortes motivos: o fato de as crianças pequenas terem mais dificuldades em desenvolver as atividades não presenciais e os pais, na grande maioria, estarão retornando aos seus locais de trabalho e terão a real necessidade de levá-las à escola”, ressalta José Ricardo.

Segundo o secretário de Educação e responsável pelo planejamento dos protocolos da área educacional, Frederico Amancio, o plano não vai diferenciar as redes. “Não haverá plano de retomada das aulas diferente por rede. Será um plano único, onde todos terão que seguir os protocolos”, explica.

FACULDADES

O presidente do Sindicato das Instituições de Ensino Superior de Pernambuco, Jânyo Diniz, defende que o governo libere ao menos as atividades práticas este mês. “Diferente do ensino superior público, as faculdades privadas vêm com ensino remoto desde o início da pandemia. Os estudantes têm mantido uma rotina de aulas nos mesmos horários, com as mesmas turmas e os mesmos professores. A diferença é que cada um está na sua casa”, afirma Jânyo. Continue lendo

Sumaia Vilela/Agência Brasil

Pesquisa do instituto Datafolha, publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, mostra que, para 76% dos brasileiros, as escolas não deveriam reabrir nos próximos dois meses, em função da pandemia do coronavírus. De acordo com o levantamento, a maioria, em todas as faixas etárias, de renda e em todas as regiões do País, defende que as escolas continuem fechadas em julho e agosto.

Os números indicam ainda que apesar de 52% da população concordar com a reabertura do comércio neste momento, apenas 21% é favor do retorno das aulas presenciais no curto prazo. Alguns governadores, como os de Goiás e do Distrito Federal, estudam reabrir parcialmente as unidades em agosto. Em São Paulo, a previsão é de retomada em setembro.

Não há diferença significativa entre as faixas de renda familiar, tampouco entre os tipos de municípios. Porém, apenas 9% dos que avaliam o governo Bolsonaro como ruim ou péssimo afirmam que as escolas devem reabrir, enquanto o porcentual sobe para 38% entre os que consideram o governo ótimo ou bom. No recorte por sexo, enquanto 81% das mulheres defendem a continuidade do fechamento, 71% dos homens responderam da mesma forma.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O Datafolha ouviu 2.016 pessoas de todo o país na terça (23) e na quarta-feira (24) por telefone.

O Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) lançou nesta sexta-feira (26) edital de seleção de professores de escolas públicas que atuarão como supervisores e preceptores bolsistas dos Programas Institucionais de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e de Residência Pedagógica (RP).

A seleção é voltada para docentes das redes públicas de ensino municipais e estadual localizadas em cidades próximas ao campus do IFPE onde vão ser oferecidos os Programas Institucionais, bem como para docentes dos campi do IFPE. 

Serão concedidas 23 bolsas no valor mensal de R$ 765. O pagamento das bolsas será realizado com recursos da Capes. O resultado final da seleção será divulgado no dia 22 de julho, e o início das atividades está previsto para o dia 3 de agosto.

Os interessados em participar dos programas devem preencher o Formulário Eletrônico de Inscrição e enviá-lo, no período de 1º a 7 de julho, juntamente com a documentação exigida. Para garantir a vaga, o candidato deve possuir o diploma da Licenciatura que corresponda ao componente curricular ou ao curso do subprojeto, além de ter experiência mínima de 2 (dois) anos na educação básica.

Confira o cronograma completo da seleção:

26/06/2020 – Lançamento do edital de seleção dos bolsistas

01 a 07/07/2020 – Inscrições dos candidatos

08 e 10/07/2020 – Análise e seleção dos professores

Até 16h do dia 13/07/2020 – Divulgação do Resultado Preliminar da seleção

Até 16h do dia 17/07/2020 – Prazo para interposição de recursos

22/07/2020 – Divulgação do Resultado Final

De 23 a 31/07/2020 – Apresentação dos dados e comprovante de conta bancária para os professores selecionados.

03/08/2020, às 16h 30min – Início das atividades 

Confira abaixo o quadro do Programa com a oferta dos subprojetos por campus:

Curso – Campus – Programa

Geografia – Recife – PIBID e RP

Geografia – EAD – PIBID

Física – Pesqueira – PIBID e RP

Matemática – Pesqueira – PIBID e RP

Música -Belo Jardim – PIBID

Química -Vitória de Santo Antão -PIBID e RP

Química -Ipojuca -PIBID

Química – Barreiros – RP

CNN Brasil

Em entrevista exclusiva à CNN nesta quinta-feira (25), o novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva, disse que espera restabelecer o diálogo com as universidades federais e com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), assim como encontrar soluções para melhorar a qualidade da educação pública do país.

Decotelli também elencou o que, segundo ele, serão as três prioridades do MEC a partir de agora. A primeira é definir um sistema de quantificação técnica rigorosa nos controles e nas métricas para avaliar a educação brasileira.

“Não podemos estabelecer políticas públicas baseados em um índice tão importante como o Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica] em métricas de 2005”, disse.

O novo ministro da Educação falou também em promover uma gestão integrada entre o ministério e as suas autarquias, que fazem a entrega nos segmentos da educação no país. Além disso, manifestou intenção de melhorar o diálogo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na qualificação e estímulo para que as bolsas de estudo se reflitam em melhor qualidade tecnológica. Para Decotelli, é fundamental que o Brasil esteja preparado para ingressar em um mundo tecnológico e mais desafiador. 

Questão racial

Perguntado sobre o fato de ser negro e se isso traria alguma mensagem para o povo brasileiro neste momento — ele é o primeiro negro a ser nomeado ministro no governo de Jair Bolsonaro — Decotelli disse que “precisamos nos enxergar como brasileiros”, e que aqueles que quiserem buscar os seus sonhos e projetos devem poder fazê-lo “independentemente da sua cor de pele e etnia”. Segundo ele, é dever do Estado não criar prioridades, proteções e nem barreiras institucionais. 

“Somos um país que todas as etnias são bem recebidas. Mas o Estado precisa ser o marco regulador, não pode pré-conceber acesso melhor para alguns grupos e bloquear o acesso a outros”, falou.

Escola Estadual Sizenando Silveira, em Santo Amaro, na área central do Recife, fechou durante a pandemia  — Foto: Reprodução/TV Globo

Professores do departamento de Estatística da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) elaboraram uma carta trazendo questionamentos sobre a segurança sanitária de escolas públicas e privadas e riscos de contaminação dos alunos e suas famílias. Segundo o secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Fred Amâncio, essa retomada só deve ocorrer por meio de um plano, com autorização das autoridades de saúde, o que ainda não tem data.

De acordo com a professora Maria Cristina Falcão Raposo, as dúvidas a respeito da volta às aulas incluem a conscientização de crianças sobre a necessidade de usar máscaras fora de casa. O questionamento sobre a retomada de encontros presenciais no estado vem em meio ao anúncio do governo de São Paulo, com plano de reabrir em setembro. Em Pernambuco, não há data ainda.

“Você acredita que as crianças vão conseguir passar quatro horas com as máscaras devidamente colocadas na face? Isso é uma dúvida, principalmente para as crianças menores. Até agora, as crianças se mostram assintomáticas. Por outro lado, como estão protegidas, a contaminação pode ser menor porque elas estão menos expostas”, disse.

A professora mencionou, ainda, a diferença entre a preparação de escolas públicas e privadas. “As escolas particulares estão se preparando há mais tempo. A gente sabe que é diferente da situação das escolas públicas, que atualmente estão sem nenhuma condição sanitária de receber seus alunos, segundo exigido”, disse.

O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco, José Ricardo Diniz, afirma que as instituições privadas de ensino estão se preparando para retomar, mas sem definição de quando isso deve ocorrer. Continue lendo

A Comissão responsável pelo edital de seleção de projetos para criação de laboratórios de ideação e prototipagem IFMaker divulgou, nesta sexta-feira (19), o resultado preliminar do concurso. A seleção interna indicará os projetos para obtenção de apoio junto à Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica – Setec/MEC para a criação de até três laboratórios distribuídos pelas regiões de Pernambuco, conforme especificado no edital.

Cada projeto foi analisado por pelo menos dois avaliadores distintos. As notas foram calculadas levando em conta aspectos como infraestrutura; impacto tecnológico, educacional e social; além de indicadores de ensino. Os recursos ao resultado preliminar deverão ser encaminhados pelos coordenadores dos projetos até às 12h da próxima terça-feira (22), de acordo com as regras estipuladas no edital.

Será selecionado o projeto mais bem classificado em cada uma das três regiões especificadas. Os classificados serão indicados na proposta institucional do IFPE que será submetida à Setec/MEC, no dia 29 de junho. O projeto com a maior nota entre os três mais bem classificados será indicado como prioritário.

A seleção atende às normas do Edital nº 35/2020/SETEC/MEC, de apoio à criação dos laboratórios IFMAKER na Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibilizou desde as 10h deste sábado (20) uma enquete para que os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 contribuam, de forma voluntária, para a escolha das novas datas de aplicação do exame. A enquete será realizada na Página do Participante e os inscritos poderão participar até as 23h59 do dia 30 de junho, escolhendo uma das opções apresentadas, com o adiamento das provas em 30, 60 ou 180 dias das datas previstas nos editais.

Confira as opções de datas:

  • Enem impresso: 6 e 13 de dezembro de 2020 / Enem Digital: 10 e 17 de janeiro de 2021
  • Enem impresso: 10 e 17 de janeiro de 2021 / Enem Digital: 24 e 31 de janeiro de 2021
  • Enem impresso: 2 e 9 de maio de 2021 / Enem Digital: 16 e 23 de maio de 2021.

 Clique aqui e acesse a Página do Participante do Enem

O Enem 2020 foi adiado em razão das medidas de restrição de circulação impostas pela pandemia de COVID-19. O objetivo da iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e do Inep é dar oportunidade de participação aos interessados no processo de definição do melhor período para a realização das provas e garantir transparência na execução do exame.

Os inscritos que desejarem participar deverão acessar a Página do Participante e utilizar CPF e senha cadastrados no portal único do Governo Federal. Mais de 6 milhões de pessoas estão inscritas no Enem 2020. Desse total, 65% já concluíram o ensino médio em anos anteriores, 23% estão no terceiro ano e 12% são “treineiros”, estudantes que fazem a prova para testar conhecimentos.

Recursos – Esta sexta-feira (19) é o último dia para participantes que tiveram a solicitação de atendimento especializado e/ou tratamento pelo nome social indeferida entrarem com recurso para nova avaliação do Inep. Os documentos comprobatórios para cada caso estão descritos no edital do Enem impresso. Os resultados serão publicados em 25 de junho.

Canais de informação 

As informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas nos portais do MEC e do Inep, assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos do Governo Federal. Dúvidas relativas ao processo de inscrição podem ser sanadas pelo Fale Conosco, por meio do autoatendimento on-line ou 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

O campus do IFPE em Afogados da Ingazeira realizará na próxima segunda-feira (22), às 14h, uma reunião on-line com estudantes dos cursos do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica, na Modalidade de Jovens e Adultos (Proeja). Estão convidados os estudantes dos cursos de Suporte e Manutenção em Computadores e de Panificação e Confeitaria.

O link para acesso à sala do Google Meet é o www.bit.ly/proejaafogados.

Aqueles que forem se conectar por meio de aparelho celular, devem baixar o aplicativo Google Meet, disponível gratuitamente no Play Store ou Apple Store.

O encontro encerra o primeiro ciclo de reuniões virtuais com estudantes dos demais cursos do campus, iniciado no mês de maio. Anteriormente, houve ainda reuniões com pais, mães e responsáveis por estudantes dos cursos integrados ao ensino médio.

Os encontros são uma iniciativa da Direção de Ensino do campus e tem por objetivo servir como mais um canal de diálogo e suporte aos estudantes durante o período de suspensão das aulas devido à epidemia de Covid-19, bem como para tratar das ações que o IFPE vem realizando de maneira remota.

Dúvidas podem ser encaminhadas para os contatos: den@afogados.ifpe.edu.br e (87) 99199-6640.

O Ministério da Educação (MEC) alterou as datas das inscrições aos principais programas de acesso às universidades para atender a uma solicitação das instituições de ensino superior públicas e privadas, segundo informou o secretário de Ensino Superior do MEC, o Wagner Vilas Boas Souza.

O edital que muda o prazo de inscrição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre, de 16 a 19 de junho para 7 a 10 de julho, foi publicado nesta quarta-feira (17). O Programa Universidade Para Todos (Prouni), que teria as inscrições abertas de 23 a 26 de junho, passou para o dia 14 de julho. E o Financiamento Estudantil (Fies) que teria inscrições efetuadas de 30 de junho a 3 de julho passou para 21 a 24 de julho.

Conforme o secretário, a mudança ocorre devido à suspensão de algumas atividades acadêmicas e administrativas nas universidades ocorridas em consequência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Atendendo às solicitações da Associação Nacional de Dirigentes de Institutos Federais de Ensino Superior (Andifes), primeiro o MEC postergou o prazo para as instituições aderirem ao Sisu, que passou para 25 a 29 de maio para o dia 12 de junho. 

“Se nós não tivéssemos prorrogado na data prevista a gente só teria, no máximo, 40 mil vagas ofertadas. E essa prorrogação permitiu um acréscimo de pelo menos 20% no número de vagas. Hoje são 51 mil vagas que serão ofertadas no Sisu justamente em função da prorrogação”, comentou o secretário.

A consulta dos estudantes às vagas disponíveis no Sisu poderá ser feita a partir do dia 30 de junho.

EAD no Sisu

A partir do segundo semestre de 2020 será possível fazer, pela primeira vez, a inscrição para cursos de Educação a Distância (EAD) no Sisu.

“Essa prorrogação nos permitiu inclusive essa inovação. Até então as instituições públicas só poderiam oferecer vagas presenciais pelo Sisu. As vagas eventualmente de EAD que as instituições públicas têm elas oferecem nos seus próprios portais, então não é dada muita divulgação. A gente inovou alterando a portaria do Sisu, alterando as regras, para que as instituições, além das vagas presenciais possam ofertar então ensino à distância”, diz o secretário.

Três meses após a suspensão das aulas presenciais em escolas e faculdades de Pernambuco, motivadas por decreto do governo estadual em 18 de março, como uma das medidas para contenção da transmissão do novo coronavírus, as três maiores universidades públicas do Estado – UFPE, UFRPE e UPE – ainda não oferecem atividades remotas para os cerca de 64 mil alunos das graduações. Os reitores dessas instituições acreditam que o retorno das aulas totalmente presenciais só será possível em 2021. Portaria do Ministério da Educação (MEC) publicada ontem prorrogou autorização para atividades à distância em instituições federais de ensino superior até 31 de dezembro. Mas apenas nove, de um universo de 69 universidades federais existentes no País, estão com essa modalidade em curso, segundo o governo federal.

“Não há previsão de retorno das atividades presenciais, porque temos que fazer um planejamento mais amplo na universidade. Não podemos colocar 35, 40 pessoas numa sala de aula. Até agosto possivelmente conseguiremos adotar aulas remotas na graduação”, diz o reitor da UFPE, Alfredo Gomes. A universidade tem cerca de 32 mil alunos nas graduações, com campus no Recife, em Vitória de Santo Antão (Zona da Mata) e em Caruaru (Agreste). Na pós-graduação, a tecnologia já vem sendo usada para a continuidade do ano letivo.

Uma das alternativas que vêm sendo avaliadas na UFPE é a adoção, durante a pandemia, de um calendário acadêmico suplementar. Funcionaria como os já conhecidos cursos de verão ou inverno, quando são disponibilizadas disciplinas para serem cursadas em um intervalo de tempo mais curto. Desta maneira, os estudantes que tivessem interesse poderiam cursar matérias que vão constar nos seus currículos e que não dependem do atual semestre letivo (que está suspenso). Esse formato foi adotado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

CONSULTA PÚBLICA

Também em agosto o reitor da UFRPE, Marcelo Carneiro Leão, espera iniciar as aulas remotas para graduandos. Amanhã a instituição finaliza a recepção de sugestões da comunidade acadêmica sobre o assunto. A partir da próxima semana será feita uma consulta pública de como será a oferta dessas aulas. “No dia 15 de julho, os três conselhos da UFRPE devem definir todo o funcionamento das aulas online, e em agosto a gente começaria”, explica Marcelo. Com aproximadamente 16 mil estudantes na graduação, a Rural tem campus na capital, no Cabo (Grande Recife), em Garanhuns (Agreste) e em Serra Talhada (Sertão).

Na opinião do reitor da UPE, Pedro Falcão, “não vai ser fácil retornar às aulas”. Ele considera “muito difícil ter aulas presenciais este ano”. A alternativa, segundo ele, é adotar atividades via internet para alunos que conseguirem dar continuidade ao período remotamente. Mas não há previsão ainda de quando iniciar.

“A gente está vendo uma forma de, no semestre que vem, por exemplo, criar um período com uma carga horária de disciplinas menor para quem puder cursar. As aulas seriam ofertadas depois, presencialmente, para os alunos que não tivessem feito antes. Mas é muito difícil, ainda mais na UPE, que é espalhada pelo Estado todo”, comentou Pedro Falcão. Há campus no Recife, Nazaré da Mata, Palmares, Garanhuns, Caruaru, Arcoverde, Salgueiro, Serra Talhada e Petrolina, com cerca de 20 mil alunos (graduação e pós).

Escola particular de Olinda, no Grande Recife, faz adequações nas salas de aula

Mesmo sem data definida para a volta das aulas presenciais nas salas de aula em Pernambuco, algumas escolas particulares já estão se preparando para receber os alunos novamente. A preparação inclui medidas para impedir a disseminação do novo coronavírus (Covid-19).

O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (Sinepe) elaborou um documento com orientações para as escolas. De acordo com o texto, a retomada das aulas presenciais deve ocorrer de forma gradual, intercalada com atividades remotas. A expectativa é de que a retomada comece a partir de julho, já que há decreto do governo estadual proibindo as atividades presenciais até 30 de junho.

De acordo com o sindicato, os primeiros a voltar provavelmente serão os estudantes da educação infantil e do 3º ano do Ensino Médio. Os pequenos por causa da volta dos pais ao trabalho e os adolescentes, devido ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros vestibulares.

Segundo o documento elaborado pelo Sinepe, o ano letivo na rede privada está previsto para terminar até o dia 15 de janeiro de 2021, com o cumprimento das 800 horas de aulas anuais. Isto se as escolas não optarem por dar aulas aos sábados e/ou feriados.

Já o recesso dos professores está previsto para a segunda quinzena de janeiro. O início do ano letivo de 2021, por sua vez, deve ocorrer no dia 1º de fevereiro.

Cada escola terá autonomia para remontar seu calendário escolar, desde que cumpra as 800 horas de atividades letivas anuais. O sindicato orienta ainda que as escolas adotem – de acordo com sua realidade – modalidades presencial e remota, para atender às necessidades da comunidade escolar. Continue lendo

Apesar de o Ministério da Educação ter anunciado em maio que as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) no segundo semestre começariam nesta terça-feira (16), a pasta informou um novo prazo: entre 7 e 10 de julho, após a publicação de um edital destinado às instituições de ensino — o que, segundo a pasta, deve acontecer nos “próximos dias”.

O edital do programa é necessário para que as instituições manifestem interessem em aderir ao Sisu, por isso é considerado o primeiro passo do processo seletivo. “Com isso, será possível conhecer o número de bolsas ofertado e quais cursos, por exemplo, estarão disponíveis para os estudantes”, explicou o próprio Ministério da Educação (MEC), no anúncio das datas de inscrição.

O cronograma original previa que as inscrições no programa começariam nesta terça e iriam até 19 de junho.

O Sisu é utilizado para selecionar estudantes para as universidades federais. Podem concorrer a uma vaga pelo programa os estudantes que participaram do Enem de 2019 e que tiveram nota acima de zero na redação. Continue lendo