Pedro Araújo

As informações que traduzem as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Quiséramos que o nosso problema fosse somente a pandemia

Por Danizete Siqueira de Lima

Curiosamente estivemos bisbilhotando uma entrevista exclusiva para o Jornal “O Globo”, no último final de semana, com o nosso ministro da Economia, Paulo Guedes, o qual mostrou-se pouco otimista com os destinos do país chegando a confessar que “tinha uma fé um pouco ingênua de que tudo seria mais rápido e de que as transformações seriam muito mais profundas na recuperação econômica”.

O ministro afirmou que tem sido mais difícil do que imaginava tirar o seu plano liberal do papel e reconhece a perda de apoio do presidente Jair Bolsonaro à agenda que ele conduz, mas não pensa em sair do governo, porque tem “senso de responsabilidade”. Desgastado pelo impasse do orçamento de 2021, o ministro confessou que há políticas para desmembrar a sua pasta, refundando o Ministério do Planejamento, mas alega que o presidente nunca falou nisso “sério” com ele.

Há sim. Algumas pressões para desmembrar. Mas o presidente não conversa sobre isso comigo. Ele só brinca. Fala: “Olha, você sabe que, volta e meia, tem pressão política aí para fazer isso”. Eu falo: “Eu sei, presidente”. Mas a nossa capacidade de implementar uma política consistente, como estamos fazendo, depende de estarmos juntos. Se tiver comando duplo. triplo na economia, rapidamente iremos para a desorganização, finaliza.

Conforme observamos, não podemos nem classificar a matéria acima como uma entrevista, pela falta de clareza e pela pouca segurança nas palavras do ministro. Não vemos nenhum fato novo que possa nos dar algum alento para a situação em que o País se encontra. O super ministro, como ficou conhecido Paulo Guedes, conversou de mais no início do governo e demonstra claras dificuldades na implementação de seu plano, notadamente, pelo surgimento de muitos problemas administrativos, além da falta de articulação com os seus pares.

Vivemos momentos “bicudos” pela proliferação desenfreada da Pandemia, quando já passamos de 400 mil mortos no País, 30% das quais registradas nos meses de março e abril últimos. É um número alarmante e as vacinas que chegam são insuficientes para o atendimento à nossa população que tanto tem se angustiado à medida que o número de mortos avança, deixando todos perplexos, inseguros e em situação de desespero.

Some-se à pandemia, essa forma atabalhoada do nosso presidente na condução do País, bombardeado diariamente por denúncias e mais denúncias envolvendo o Ministério da Saúde na má condução dos trabalhos de combate ao Covid-19, bem como nas áreas de segurança, educação, meio ambiente, enfim, uma guerra interminável envolvendo os três poderes para desvio do foco principal: salvar vidas. Até parece que elas não tem a menor importância.

Nos países que tiveram um bom desempenho frente ao coronavírus, houve uma ação conjunta para combater o mal; por aqui, a ação conjunta é para combater o presidente Jair Bolsonaro. E o vírus está achando ótimo esse comportamento idiota de uma boa parte dos brasileiros. De olho em 2022, todo dia, aliás em todas as horas do nosso fuso horário, estão puxando o tapete do presidente como forma de enfraquecê-lo (mais do que já está), conforme apontam algumas pesquisas de insatisfação veiculadas nos meios de comunicação.

Para piorar ainda mais a situação, no último sábado (1º de maio), dia do trabalhador, nada havia que pudéssemos comemorar. A não ser pela turma do quanto pior melhor, ao saber que chegamos a 14.400 milhões de desempregados no último dia 30 de abril. É triste, é doloroso mas, infelizmente, é real.

O Blog PE Notícias recebeu de uma importante autoridade judiciária cópia de um cartão de vacinação contra a Covid-19, de um cidadão de Afogados da Ingazeira, onde foi observado que neste cartão não consta uma identificação oficial do vacinado, a exemplo do número do RG ou do CPF.

De uma forma bastante construtiva, a fonte do blog disse que não era culpa dos profissionais de saúde, porque não veio deles os cartões impressos, mas de quem os planejou. “Quando o paciente é chamado para ser vacinado é exigido deste que leve um documento de identificação, um comprovante de residência e o cartão do SUS, e porque não colocaram um espaço no cartão de vacinação para constar um número de um documento oficial do vacinado?”, disse.

“Veja que o documento é uma identificação que guiará na saúde a vida do cidadão. Faltando o número do CPF ou Identidade, como pode identificar no mundo o ser humano?”, disse a fonte, que preservaremos a sua identidade.

“Sabe-se que as vacinas estão chegando ao município em quantidade que está deixando alguns pacientes insatisfeitos, mas que a culpa é de quem as distribui, com isso as pessoas ficam apreensivas sem saber se vão serem vacinadas, mas como está sendo divulgado pela imprensa, a quantidade da produção está aumentando e isso é sinal que todos vão ser vacinados até o final deste ano, esperamos”, finalizou.

Ascom

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira está usando as doses recebidas está semana da vacina AstraZeneca para iniciar a vacinação de pessoas com comorbidades.

Gestantes de alto risco estão sendo vacinação no Centro de Saúde da Mulher. Os pacientes que vivem com HIV estão sendo vacinados no Centro de Testagem e Aconselhamento, próximo à rodoviária.

As demais comorbidades deverão entrar no site: https://afogadosdaingazeira.imunizape.com.br se cadastrar e fazer o agendamento. Com exceção dos acamados ou com mobilidade reduzida, que serão vacinados em casa, os demais serão vacinados em sua UBS de acordo com data e horário do agendamento realizado.

Todos precisarão comprovar a comorbidade no ato da vacinação. O cadastro da UBS será consultado e uma ficha será preenchida para efeito de comprovação. A única exceção são os pacientes com síndrome de down.

Confira as faixas etárias e as comorbidades:

De 18 anos a 59 anos

Síndrome de Down

Hemodiálise

HIV

Obesidade mórbida

Gestante com comorbidade

Puérpera com comorbidade

Pessoas transplantadas

DE 55 A 59

Diabetes Mellitus

Asma de forma grave

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

Hipertensão Arterial Grave

Infarto agudo do miocárdio

Insuficiência Cardíaca

Doenças cardíacas

Acidente vascular cerebral (AVC)

Insuficiência Renal Crônica

Anemia Falciforme

Cirrose Hepática

Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) realizam ato público, nesta quarta-feira (05), contra o corte orçamentário de R$ 1 bilhão do governo federal que atinge todas as instituições federais de ensino técnico e superior brasileiras.

A Lei Orçamentária Anual (LOA) 2021 foi sancionada, com vetos, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, no último dia 22 de abril. A manifestação será transmitida ao vivo pelo canal da UFPE no YouTube, a partir das 15h. Participam os reitores Alfredo Gomes (UFPE), Marcelo Carneiro Leão (UFRPE) e José Carlos de Sá (IFPE), que vão falar do impacto dos cortes em cada instituição de ensino.

A redução no orçamento discricionário das instituições de ensino técnico e superior federais para 2021 representa aproximadamente 19% na comparação com o ano passado.

Com esses recursos, as universidades pagam o custeio das despesas relacionadas ao funcionamento da instituição, como, por exemplo, contratos terceirizados, fornecimento de energia elétrica e água, compras de materiais (de expediente a insumos para pesquisa), assistência estudantil, bolsas, editais de fomento, contratação de serviços, obras e outros. Continue lendo

Estabelecimentos terão horário ampliado por conta do Dia das Mães — Foto: Reprodução/TV Globo

G1

O horário de funcionamento de lojas de bairros, do Centro do Recife e de shoppings em Pernambuco será ampliado a partir de sexta-feira (07) por causa do Dia das Mães. A determinação, válida até o domingo (09), foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta terça-feira (04), em edição extra.

Por causa da pandemia, o horário do comércio passou por várias mudanças. A última delas está em vigor desde 26 de abril.

De acordo com a nova determinação do estado, na sexta (07) e sábado (08), os estabelecimentos poderão funcionar das 8h às 20h. No domingo (09), eles têm autorização para abrir das 8h às 18h.

A capacidade estabelecida pelo governo de Pernambuco para os três dias é de um cliente a cada dez metros quadrados em áreas de circulação e um cliente a cada cinco metros quadrados em área interna de cada loja.

A portaria foi publicada pelas Secretaria Estaduais de Saúde (SES-PE) e de Desenvolvimento Econômico.

No documento, o governo explica que a decisão foi tomada “em razão da possibilidade de fluxo de compras intenso relativo à comemoração do Dia das Mães”.

Nos outros dias, o comércio em geral, inclusive shoppings centers e galerias comerciais, pode funcionar das 10h às 20h, de segunda-feira a sexta-feira.

Nos fins de semana e feriados, esse estabelecimentos têm duas opções de horário: das 9h às 17h ou das 10h às 18h.

Já comércio de bairro, como os estabelecimentos varejistas de pequeno porte situados em áreas residenciais, fora de shoppings centers e galerias comerciais, podem abrir das 8h às 18h, das 9h às 19h ou das 10h às 20h, de segunda-feira a sexta-feira; das 9h às 17h ou das 10h às 18h, nos finais de semana e feriados.

Nascidos em maio receberão o saque a partir desta quinta-feira (6)

A Caixa Econômica Federal libera nesta quarta-feira (05) o saque em dinheiro do auxílio emergencial para 2,38 milhões de beneficiários nascidos em abril. Ao todo, foram creditados R$ 492,87 milhões para esse público em 13 de abril.

De lá para cá, o valor só pôde ser movimentado pelo Caixa Tem, aplicativo no qual os beneficiários conseguem pagar boletos, comprar pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.

Desde a última sexta-feira (30), o público geral que recebe o auxílio também já pode movimentar o dinheiro usando o Pix, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central. A única exceção às transações se dá para os casos de transferência para conta de mesma titularidade.

Conforme o Ministério da Cidadania, o modelo de escalonamento das transferências e saques, adotado no ano passado durante a primeira rodada do auxílio emergencial, segue com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa e nas lotéricas.

A nova rodada do auxílio emergencial terá quatro parcelas, de abril a julho, com valor médio de R$ 250. Mulheres chefes de família receberão R$ 375 e pessoas que vivem sozinhas, R$ 150. A estimativa é de que as quatro cotas cheguem a cerca de 40 milhões de famílias.

O ex-ministro Eduardo Pazuello: recados do Exército para se apresentar à paisana na CPI

Por Bela Megale/O Globo

No depoimento que faria nesta quarta-feira (05), na CPI da Covid, Eduardo Pazuello tinha como um dos principais alvos o Supremo Tribunal Federal (STF). Nos treinamentos que fez durante o fim de semana, o ex-ministro calibrou suas respostas para retirar a responsabilidade do governo Bolsonaro pelas mais de 400 mil mortes e jogar sobre a corte.

Um dos argumentos que o general pretendia usar em sua fala é repetido à exaustão pelo presidente Bolsonaro. A tese é de que a decisão do STF de conferir a Estados e municípios autonomia para deliberar sobre as medidas de isolamento social teria impossibilitado que o governo federal tivesse um plano centralizado para combater a pandemia.

Outro argumento de defesa de Pazuello mirava, especificamente, um integrante do Supremo, o ministro Luís Roberto Barroso. Sua história é a seguinte: Barroso, que é presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deveria ter atuado para impedir a realização das eleições municipais de 2020, porque o pleito teria sido um dos fatores que impulsionaram a segunda onda da pandemia. Barroso é o mesmo ministro que determinou que o Senado instaurasse a CPI da Covid, após acatar pedido de parlamentares.

Integrantes do governo acreditam que esse roteiro deve ser mantido, mesmo com o adiamento do depoimento de Pazuello para o dia 19. Senadores governistas solicitaram que a fala de Pazuello ocorresse por meio de videoconferência, após o general alegar que teve contato com infectados pela Covid-19, embora não tenha se furtado em circular por shopping sem o uso da máscara. O depoimento presencial, porém, foi remarcado, para a infelicidade do Palácio, que não tem boas expectativas sobre a ida do ex-ministro.

O ex-ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta, durante sessão da CPI no Senado.

Por Beatriz Jucá/El País

A estreia dos depoimentos dos ex-ministros da Saúde na CPI da covid-19 provocou um impacto negativo ao Governo Bolsonaro já esperado, mas não trouxe novos trunfos apresentados pelo primeiro a ser ouvido pelos senadores, Luiz Henrique Mandetta. O médico, que tenta construir uma candidatura ao Planalto e foi demitido por discordâncias com o presidente sobre o isolamento social, blindou-se com uma carta na qual cobrava, em março de 2020, que o presidente mudasse sua conduta no enfrentamento da pandemia sob o risco de “gerar colapso do sistema de saúde e gravíssimas consequências à saúde da população brasileira”. Afirmou que Bolsonaro não seguia as orientações técnicas do ministério e tinha uma “assessoria paralela”, da qual participava seu filho e estrategista digital Carlos Bolsonaro. Expôs ainda ter visto uma minuta para incluir a covid-19 na bula da cloroquina ―um medicamento sem eficácia― por uma canetada via decreto presidencial, mas disse desconhecer de quem foi à autoria e que a proposta não prosperou.

Ao desgaste provocado por Mandetta ao reforçar a postura negacionista de Bolsonaro durante a maior crise sanitária dos últimos 100 anos, soma-se o adiamento do aguardado depoimento do ex-ministro e general Eduardo Pazuello desta quarta-feira (05) para o próximo dia 19 de maio. Se, num primeiro momento, a postergação poderia aliviar o Planalto de uma semana de embates na CPI, a oposição espera com isso ganhar tempo para fazer acareações e sabatinar o ex-ministro. Continue lendo

Arthur Lira (PP-AL, presidente da Câmara (20.abr.2021)

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, disse que o relatório inicial lido nesta tarde sobre a reforma tributária deverá ser aproveitado no parecer final. A fala de Lira vem depois de o vice-presidente da Casa, o deputado Marcelo Ramos, dizer que a comissão mista formada para discutir o assunto deverá ser extinta, o que invalida o relatório lido hoje. 

“Quero agradecer o relator Aguinaldo Ribeiro pelo excelente trabalho e partiremos de um conjunto de discussões avançadas. Nada se desperdiça no Congresso. O relatório final, sem dúvida, incorporará pontos do relatório, se não sua grande parte”, disse Lira em pronunciamento feito nesta noite.

Segundo o regimento da Casa, a comissão deveria ter, no máximo, 40 sessões, mas já extrapolou esse limite. Lira disse ainda que o motivo da suspensão é de preservar a tramitação da reforma no Congresso. Ele cita que a comissão especial formada pela Câmara para emitir parecer sobre a PEC 45, uma das propostas em tramitação, já havia expirado seu prazo regimental há mais de um ano e meio.

“Não é conveniente que, depois da leitura do relatório, esse texto voltasse para uma comissão que regimentalmente não mais existe”, disse. “Vamos definir a melhor forma de fazer, no menor prazo, um relatório modelo de tramitação eficiente para que possamos aprovar a reforma possível no prazo mais rápido”. Continue lendo

Estadão

O WhatsApp anunciou nesta terça-feira (04) que pessoas físicas poderão transferir dinheiro por meio do aplicativo de mensagens, sem a cobrança de taxas. O recurso, chamado de WhatsApp Pay, começa a ser implementado gradualmente entre os usuários da plataforma nas próximas semanas.

O serviço estará disponível para clientes com cartões de débito, pré-pago ou combo das seguintes instituições financeiras: Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop Sicredi, com as bandeiras Visa e Mastercard.

A parceria com as grandes instituições foi antecipada pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Operado pela Cielo, o modelo segue aberto para outras empresas interessadas em se tornarem parceiras. Cartões de crédito não foram contemplados.

Foram estabelecidos limites sobre os valores a serem transferidos. Os usuários podem enviar até R$ 1 mil por transação e receber 20 transferências por dia, com limite de R$ 5 mil por mês. Os bancos parceiros podem estabelecer um limite menor para transações. Para usar o WhatsApp Pay, é preciso que o brasileiro tenha número de telefone cadastrado no país para que as transações em moeda local sejam autorizadas.

Clique aqui para saber mais sobre este recurso.

O presidente executivo do Facebook (empresa também dona dos aplicativos WhatsApp e Instagram), Mark Zuckerberg, comemorou em vídeo o lançamento da plataforma no Brasil e afirmou que o Brasil é um dos primeiros países do mundo a receber a novidade.

– Isso porque sabemos o quanto o WhatsApp é importante para o Brasil. Continue lendo

O ator Paulo Gustavo não resistiu à luta contra a Covid-19 e morreu nesta terça-feira (04). Ele tinha 42 anos e estava internado em um hospital no Rio de Janeiro desde o dia 13 de março.

– Às 21h12 desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da covid-19 e suas complicações. Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento, disse uma nota da equipe do ator.

Novas informações sobre a saúde do humorista foram compartilhadas nesta segunda-feira (03), revelando que ele sofreu uma embolia, insuficiência cardíaca e lesões cerebrais devido a uma fístula broncovenosa (abertura entre os pulmões e as veias).

Já na noite desta terça-feira (04), um novo boletim médico sobre o estado de saúde do artista informou que ele tinha um quadro irreversível.

– A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos – afirmou a nota.

Enquanto estava internado, Paulo Gustavo chegou a ser submetido a um tratamento conhecido como Oxigenação por Membrana Extracorpórea, (ECMO), na sigla em inglês, medida que tem ação mais complexa que o ventilador mecânico.

A técnica funciona como um pulmão adicional e possibilita que o paciente tenha tempo e condição clínica para se recuperar. A técnica faz a circulação e a oxigenação artificiais do sangue por meio de uma máquina ligada ao paciente por cateteres.

O presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que antecipa o pagamento do 13º de aposentados do INSS neste ano. O pagamento será feito em duas parcelas. A primeira, correspondente a 50% do valor, será paga juntamente com os benefícios de maio, entre os dias 25 de maio e 8 de junho.

A segunda parte será paga com os benefícios de junho, entre 24 de junho e 7 de julho. Normalmente, o 13º dos aposentados é pago nas competências de agosto e novembro.

A intenção de antecipar o benefício já tinha sido anunciada pelo governo como medida para incrementar a renda dos beneficiários do abono e favorecer o processo de recuperação da economia após o impacto da pandemia do novo coronavírus. Segundo estimativas do Ministério da Economia, a medida deve injetar R$ 52,7 bilhões na economia do País.

“A grande maioria dos beneficiários da Previdência Social são pessoas idosas, doentes ou inválidas, portanto integrantes dos grupos mais vulneráveis ao coronavírus, que terão, por meio da medida, maior segurança financeira neste momento delicado para a saúde e a economia”, afirmou a Secretaria Geral da Presidência da República em nota divulgada nesta terça-feira (04).

A medida não terá impacto orçamentário, pois trata-se apenas da antecipação do pagamento do benefício, sem acréscimo na despesa prevista para o ano. A confirmação do pagamento antecipado aos aposentados, no entanto, dependia da sanção do orçamento de 2021 Os gastos obrigatórios estavam sendo feitos de forma provisória na proporção de 1/12 ao mês em relação ao estimado na proposta orçamentária, como autoriza a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Pagar o 13º mais cedo que o habitual elevaria essa proporção.

O decreto presidencial deve ser publicado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (05).

Uma notícia ruim para o governador de São Paulo, João Doria. Levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas apontou que 65% da população do estado reprova a gestão Doria.

A pesquisa foi realizada com 1602 pessoas de 92 municípios de São Paulo entre os dias 28 de abril e 1º de maio. A margem de erro é de 2,5% pontos percentuais.

Os resultados da pesquisa ficaram da seguinte forma,

Aprovação da administração do governador João Doria:

  • Aprovam: 30,4%
    Desaprovam: 65,3%
    Não sabem ou não responderam: 4,3%

Como classifica a gestão Doria:

  • Ótima: 2,7%
    Boa: 13,1%
    Regular: 29%
    Ruim: 11,4%
    Péssimo: 42,6%
    Não sabem ou não respondeu: 1,2%

Na sessão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) julgou procedentes duas Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs), ajuizadas pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que tratam de leis municipais que preveem pensões para viúvas de ex-servidor da cidade de Cedro e prefeitos de Floresta, ambas localizadas no Sertão pernambucano, que falecerem no exercício do mandato.

“Tivemos uma grande vitória na atuação, enquanto instituição fiscalizadora dos princípios constitucionais, pois longe de buscar satisfazer o interesse público, principalmente no contexto social permeado por uma pandemia de escala global, os dois Executivos municipais procuraram garantir uma benesse injustificada e que colocou em xeque o princípio da impessoalidade. Assim, houve uma violação do interesse público, onerando-se de forma hereditária o erário. A nossa atuação sempre será pautada pela priorização do interesse de todos”, disse o procurador-geral de Justiça de Pernambuco, Paulo Augusto Freitas.

A ADI contra a Lei Municipal n.º 262/2009, de Cedro, foi ajuizada pelo MPPE por instituir e disciplinar, em seu artigo primeiro, o recebimento de pensão especial por viúva de um ex-servidor, ferindo, frontalmente, os princípios da moralidade administrativa e da impessoalidade, previstos no caput do art.97 da Constituição Estadual. Para o MPPE, a concessão, através de Lei, de verba remuneratória vitalícia, às expensas dos recursos públicos, configura desvio ético condenável, implicando em ofensa ao princípio da moralidade.

Já a segunda ação ajuizada foi contra a Lei Municipal n.º 170/1999, de Floresta, por conceder uma pensão mensal no valor de 50% dos subsídios do prefeito à esposa daquele que falecer no exercício do mandato. No entendimento do MPPE, a concessão de benesse remuneratória vitalícia aos cônjuges sobreviventes dos Chefes do Executivo Municipal, em caso de falecimento no curso do mandato, às expensas dos recursos públicos, configura também desvio ético condenável, implicando, por conseguinte, em ofensa ao princípio da moralidade, previsto no caput do art.97 da Constituição Estadual.

“É imperiosa a necessidade da administração pública observar de forma contundente e irrestrita os princípios da moralidade e impessoalidade (Artigo 37, § 1º da CF). Os agentes públicos, devem, necessariamente, como forma de agir com probidade, abandonar velhas práticas, como é esta de tornar o cargo de prefeito vitalício no que concerne ao pagamento de pensões a viúvas de ex-prefeitos. Vamos continuar interpondo as ações cabíveis, pois admitir a continuidade do pagamento das pensões a viúvas de prefeitos significaria romper com o regime previdenciário constitucional, bem como desrespeitar o interesse público, onerando-o de forma hereditária”, pontuou o subprocurador-geral de Justiça em assuntos Jurídicos, Francisco Dirceu Barros.

Brigadistas combatem o incêndio na Chapada Diamantina  (Mateus Pereira/GOVBA)

Portaria conjunta dos ministérios da Economia e do Meio Ambiente publicada nesta terça-feira (04) no Diário Oficial da União autoriza o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) a contratar, por tempo determinado, até 1.659 profissionais para o atendimento de emergências ambientais.

Os contratos terão validade de até seis meses e o valor da remuneração será definido pelo Ibama.

De acordo com a Portaria nº 46, há previsão para contratar até 912 brigadistas, 160 chefes de esquadrão e 71 chefes de brigada, no caso das “brigadas normais”.  Já para as brigadas especializadas foi autorizada a contratação de 393 brigadistas, 53 chefes de esquadrão e 25 chefes de brigada.

Serão contratados também 40 gerentes estaduais e cinco gerentes federais.